Mundo

Muitos passageiros já nem foram ao "Sá Carneiro"

Muitos passageiros já nem foram ao "Sá Carneiro"

Apesar do elevado número de voos cancelados - 35 partidas e 36 chegadas - até ao fim da tarde de ontem, o ambiente era calmo, ontem à tarde, no aeroporto de Francisco Sá Carneiro, no Porto.

Muitos passageiros, avisados de que não valia a pena deslocarem-se para a gare, terão resolvido não comparecer. Contudo, o facto de terem adquirido on-line as viagens em companhias low-cost obrigou muitos passageiros a deslocarem-se ao aeroporto para resolver, junto dos balcões da companhias aéreas, a mudança de voo ou o reembolso do dinheiro.

Foi o que aconteceu com o filho de Luís Queijão que, juntamente com a mulher e os dois filhos pequenos, procurava, ontem, o reembolso do dinheiro gasto nas viagens de volta para Paris.

"Como não se sabe quando vai haver avião de volta, ele quer o dinheiro para comprar viagens de autocarro, pois tem de estar a trabalhar na segunda-feira", explicou.

Situação igualmente complicada era a de Isabelle Kirchmeyer, que após umas férias em Ponte de Lima, procurava, ontem, regressar a Beauvais, nos arredores de Paris. "Não há lugares no comboio nem no autocarro, o aluguer de um carro é caro e tenho de trabalhar segunda-feira. Não sei como vai ser", indagava.

Patrícia, uma jovem estudante alemã, era mais optimista. "Não vou poder ir para as aulas. Já que tenho de ficar, que venha o bom tempo para ir até à praia!", ironizou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG