EUA

Mulher de 26 anos deu à luz bebé com embrião congelado há 25 anos

Mulher de 26 anos deu à luz bebé com embrião congelado há 25 anos

Uma norte-americana de 26 anos deu à luz uma menina, após inseminação de um embrião congelado há 25 anos. Um recorde mundial, dizem os médicos.

"Percebem que só tenho 25 anos? Este embrião e eu podíamos ser as melhores amigas", disse Tina Gibson, ao recordar, para a CNN, o momento da inseminação, em março, com um embrião congelado em 1992, quando tinha pouco mais de uma ano de vida.

O embrião desenvolveu-se normalmente durante 38 semanas e Tina, que entretanto completou 26 anos, deu à luz uma menina, Emma Wren Gibson, a 25 de novembro. Mais que amigas, partilham o laço mais forte que há, mãe e filha.

"As pessoas dizem que isto é ciência, mas para mim é um presente de Deus", disse Tina Gibson, em entrevista à WBIR, canal televisivo do Este do Tennessee associado à NBC.

Tina casou aos 19 anos, com Benjamin Gibson, então com 26. O marido sofre de fibrose quística, que em alguns casos pode originar infertilidade no homem. O casal pensava em adotar um dia, mas enquanto não se sentiam preparados entraram no programa de acolhimento de crianças.

Foi numa altura e que estavam sem crianças à guarda que o pai de Tina lhe falou na adoção de embriões, conta a CNN. Tina inscreveu-se no programa em agosto de 2016 e na primavera de 2017 o útero fez-se casa de acolhimento para três embriões de um dador anónimo.

Embrião é recorde mundial

Foi só quando o médico lhe explicava o procedimento que Tina soube que o embrião escolhido poderia ser "um recorde mundial".

O Centro Nacional de Doação de Embriões, em Knoxville, no Tennessee, no qual Tina se inscreveu, diz que a bebé tem o recorde de embrião mais tempo congelado a nascer. Foi congelado a 14 de outubro de 1992 e descongelado a 13 de março de 2017, mais de 24 anos depois.

Alguns especialistas, citados pelo jornal "The Washington Post", dizem que o recorde de Emma não é claro, uma vez que as companhias americanas não são obrigadas a reportar a idade dos embriões, apenas o resultado das gravidezes.

"Ninguém tem esse tipo de registo", disse Zaher Merhi, do Centro de Fertilidade Nova Esperança, em Nova Iorque, nos EUA. Palavras contrariadas por outros especialistas. Em 2010, uma mulher deu à luz um rapaz saudável de um embrião congelado 20 anos antes, em 1990.

A médica que fez o tratamento, Carol Sommerfelt, evita a questão do recorde, e centra-se em algo mais essencial. "É profundamente comovente e altamente recompensador ver que embriões congelados há 24 anos e meio, com métodos antigos de criopreservação, possam resultar em sobrevivência de 100% dos embriões", disse a médica.

A mãe ignora a questão e só tem olhos para a filha. "Não quero saber se é um recorde", disse Tina, secundada pelo pai da menina. "Emma é um doce milagre", disse Benjamin Gibson, de 33 anos. "Acho que é perfeita para quem esteve congelada tantos anos", acrescentou.