Brasil

Mulher de Bolsonaro investigada por suposto favorecimento a amigos em empréstimos

Mulher de Bolsonaro investigada por suposto favorecimento a amigos em empréstimos

A Procuradoria da República do Distrito Federal brasileiro decidiu investigar uma suposta atuação da primeira-dama do país, Michelle Bolsonaro, para favorecer empresas de amigos com empréstimos da Caixa Económica Federal.

Documentos obtidos pela revista "Crusoé" mostram que Michelle Bolsonaro, mulher de Jair Bolsonaro, agiu pessoalmente para favorecer amigos e empresários próximos do presidente brasileiro no auge da pandemia.

Segundo a revista, empréstimos foram autorizados depois de a primeira-dama ter falado com o presidente do banco Caixa Económica Federal, Pedro Guimarães.

"A pedido da sra. Michelle Bolsonaro e conforme conversa telefónica entre ela e o presidente Pedro, encaminhamos os documentos dos microempresários de Brasília que têm buscado crédito a juros baixos", diz um dos e-mails obtidos pela revista, datado de maio passado.

A investigação em relação à atuação de Michelle Bolsonaro será realizada dentro de um inquérito que investiga irregularidades na Caixa, como uma suposta pressão política sobre a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), segundo a rede Globo.

A revelação gerou uma forte repercussão negativa por parte da oposição ao presidente do Brasil que exigiu uma investigação ao caso.

PUB

"Atenção! Eu e os demais líderes dos partidos da minoria na Câmara dos Deputados acabamos de acionar o Ministério Público Federal (MPF) para que Michelle Bolsonaro seja investigada por tráfico de influência. A revista Crusoé denunciou que ela interferiu na Caixa para que empresários 'bolsonaristas' recebessem empréstimos", escreveu na rede social Twitter o deputado Marcelo Freixo.

"Diversos micro/pequenos empresários tiveram dificuldades em conseguir crédito na pandemia, precisaram demitir funcionários ou fechar as portas. Mas para um seleto grupo de 'bolsonaristas' foi moleza, era só acionar Michelle Bolsonaro e a juros baixos. Isso é tráfico de influência!", acusou a presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann.

Gleisi revelou ainda que entregou na Câmara dos Deputados um pedido de explicações ao ministro da Economia, Paulo Guedes, e ao presidente de Caixa Económica Federal sobre o alegado crédito facilitado para amigos de Michelle Bolsonaro.

Também o partido de direita Novo se manifestou nas redes sociais: "Absurdo! Denúncia da imprensa de que Michelle Bolsonaro teria favorecido empresas amigas a conseguirem empréstimo na Caixa no auge da pandemia é muito grave. A bancada do Novo vai acionar o Ministério da Economia para cobrar esclarecimentos e a devida investigação sobre o caso".

Para a ex-deputada federal e ex-candidata à vice-presidência do Brasil Manuela D'Ávila "mamata [ladroagem] é a única instituição que segue funcionando" no atual Governo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG