Haninge

Mulher é detida na Suécia depois de prender filho durante 28 anos em apartamento

Mulher é detida na Suécia depois de prender filho durante 28 anos em apartamento

As autoridades suecas anunciaram esta terça-feira a detenção de uma mulher de 70 anos, suspeita de ter trancado o filho por 28 anos, o qual foi encontrado - de acordo com a imprensa local - num apartamento na região de Estocolmo com feridas, desnutrido e quase sem dentes. "A mãe é suspeita de privação ilegal da liberdade e de provocar lesões físicas", disse à AFP o porta-voz da polícia Ola Österling.

O filho, de 41 anos, ficou trancado durante muito tempo no apartamento da família em Haninge, nas proximidades de Estocolmo. De acordo com os jornais "Expressen" e "Aftonbladet", a mãe deixou o filho trancado no apartamento durante 28 anos, depois de retirá-lo da escola quando tinha 12 anos.

Vizinhos em choque

O apartamento foi isolado para investigação e análise por parte dos peritos. "O alerta foi dado por um familiar depois de ver (a vítima)", confirmou o Ministério Público em comunicado. A imprensa local afirmou que o homem tinha feridas com infeções nas pernas, mal conseguia caminhar, ou falar, e praticamente perdeu todos os dentes.

A polícia não confirmou os detalhes, mas indicou que o homem foi hospitalizado. "Havia urina, sujeira e poeira. Cheirava a mofo. Ninguém faz limpeza há anos", segundo a familiar que encontrou a vítima, citada pelo "Expressen" em anonimato.

A pilha de lixo dificultou a entrada no apartamento. "Estou surpresa, chateada, mas ao mesmo tempo aliviada. Há 20 anos que espero por este dia, porque percebi que ela tinha o controlo total da vida dele, mas nunca teria imaginado algo desta magnitude", disse a fonte.

"Ela roubou a vida dele e manipulou as pessoas ao redor para manter o segredo", comentou. "Sou grata por ele receber a ajuda e poder sobreviver". Nenhuma hipótese foi feita sobre as motivações da mãe.

Para Don Somboon, um engenheiro de 25 anos que mora na mesma rua, "foi uma surpresa ouvir a notícia", disse à AFP. "É aterrador, mas, acima de tudo, triste", comentou Tove Boman, uma jovem de 24 anos que mora no prédio ao lado. "Cresci aqui. Então, sempre soube quem ela era, um pouco estranha", disse sobre a mãe.

PUB

Não viam o filho há vários anos

Ainda não foram esclarecidas as condições exatas em que o filho esteve totalmente preso ou não. Uma vizinha contou ao jornal "Aftonbladet" que encontrou o homem no supermercado há alguns meses. "Eu sei quem você é, você é a minha vizinha", teria dito o filho, alegando reconhecê-la porque a via através da janela de casa. A maioria dos vizinhos citados pelos jornais afirma, porém, que não via o homem há vários anos.

"Eles quase nunca saíam, nunca abriam as janelas", afirmou uma moradora, em entrevista ao "Aftonbladet". Como o filho e a mãe conseguir escapar aos serviços sociais ainda é uma incógnita. "A gente conversava sobre coisas sem importância, como é habitual", disse uma vizinha sobre a mãe. "Às vezes, eu perguntava sobre o filho, ela dizia-me que estava bem, nunca falava dele".

Para esta vizinha, era estranha, no entanto, que as janelas da casa nunca fossem abertas. "Mas o que fazer? Como é que se sabe o que está a acontecer por detrás da porta? É horrível, não dá para acreditar que seja verdade", lamenta. A mãe nega as acusações.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG