Vídeo

Mulheres reagem a Trump partilhando casos de assédio no Twitter

Mulheres reagem a Trump partilhando casos de assédio no Twitter

Mulheres reagem a propostos de Donald Trump contando casos próprios de assédio sexual no Twitter.

Milhões de mulheres seguiram o apelo da escritora canadiana Kelly Oxford e resolveram inundar o Twitter com relatos de assédio sexual de que foram vítimas, reagindo desta forma crua ao mais recente escândalo que envolve o candidato republicano às eleições presidenciais de novembro nos EUA.

Uma gravação de 2005 revela Donald Trump a referir-se depreciativamente às mulheres, dizendo que pode apalpar as que quiser por ser uma estrela, para citar apenas a frase menos grosseira de todo o diálogo.

Kelly Oxford insta as mulheres a enviar-lhes os relatos dos assédios. "Tuitem-me os vossos primeiros assédios. Não são apenas estatísticas. Eu começo: Um velho num autocarro apalpa-me a ... e sorri para mim. Tenho 12 anos", escreveu a escritora.

Recebeu, "horrorizada", uma média de 50 respostas por minuto em 14 horas. E muitas contam histórias de quando eram menores. "Quem quer que negue que existe uma cultura da violação que espreite a minha cronologia", insta a canadiana.