Mundo

Descascar camarão também dá medalhas

Descascar camarão também dá medalhas

Enquanto em Londres se disputam os Jogos Olímpicos, em França também há medalhas a distribuir, mas numa competição, no mínimo, diferente: descascar camarão.

120 atletas, de vários pontos do globo, reuniram-se em Leffrinckoucke, no Norte de França, para disputar a oitava edição do Campeonato Internacional de Descascar Camarão. O evento começou em 2005 com vinte atletas, mas foi crescendo e recebe já a visita de competidores da Rússia ou da Coreia do Sul.

Conta o presidente da câmara daquela povoação costeira no extremo Norte do país, citado pela agência France Presse, que "um bom descascador tem de empenhar e adorar camarão", já que a técnica implica "destreza e muito treino".

O autarca afirma com um sorriso nos lábios que o ideal é começar a carreira por volta dos cinco anos, tal como fazem as ginastas que se encontram a disputar as medalhas olímpicas no Reino Unido.

A disputa é simples. Quem descascar mais camarão em 10 minutos, ganha o título. Na edição deste ano, que decorreu este domingo, Colette Vanzinghel levou a melhor pela quinta vez, mas longe do recorde do ano passado.

A medalha foi-lhe entregue após ter conseguido descascar 150 gramas de camarão, mas, na edição anterior, o título foi-lhe atribuído com um recorde de 180 gramas de camarão descascado e pronto a ser ingerido.