Mundo

Equilibrista vai atravessar cataratas do Niagara

Equilibrista vai atravessar cataratas do Niagara

Um equilibrista norte-americano vai atravessar as cataratas do Niagara através de um cabo de aço. A proeza, que não é tentada há mais de um século, vai decorrer no próximo Verão depois de ter conseguido a autorização do Canadá.

Nik Wallenda, de 33 anos, que pertence a uma família de equilibristas conhecida pelos "Flying Wallenda", já tinha garantido as autorizações no lado norte-americano em Setembro passado. O governador do estado de Nova Iorque, Andrew Cuomo, assinou uma especial legislação concedendo um ano para efectuar a tentativa, que Nik Wallenda diz ser a primeira em mais de um século.

Na quarta-feira, a direcção da Comissão dos Parques Niagara do Canadá votou unanimemente a autorização para que Wallenda avance com a sua tentativa, anulando uma decisão anterior em sentido contrário.

"Tem sido um sonho meu desde que tinha 6 anos de idade", disse Nik Wallenda numa entrevista telefónica com a Agência Reuters, pouco depois de ter estado reunido com a direcção canadiana. "Este é um sonho que muitos me disseram ser impossível: dois países mudarem as leis. Sou abençoado, é tudo o que posso dizer".

A Comissão de Parques do Niagara (EUA) também aprovou uma moção que impede tentativas semelhantes mais do que uma vez a cada 20 anos. "Esta decisão foi aprovada em parte como reconhecimento do papel que as proezas tiveram na história e na promoção das cataratas do Niagara", justificou Janice Thomson, a presidente da comissão. "Deixamos claro que esta é uma situação única. Não é uma actividade de todos os dias e não será autorizado que se torne uma actividade vulgar".

Nik Wallenda, a sétima geração da família circense Wallenda, explicou ainda que a sua tentativa será a primeira efectuada directamente sobre as cataratas, já que as anteriores aconteceram mais à frente sobre a garganta do rio.

"Eu vou caminhar através da névoa lançada pelas cataratas", explicou, acrescentando que apesar de parecer mais perigoso devido às condições mais escorregadias, os seus sapatos de fabrico sueco na realidade aderem melhor quando molhados. Será com esses sapatos que vai percorrer um cabo com cinco centímetros de diâmetro colocado ao longo de 550 metros.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG