EUA

Estátua de Nossa Senhora "a chorar" atrai crentes de todo o mundo

Estátua de Nossa Senhora "a chorar" atrai crentes de todo o mundo

Uma estátua da Virgem Maria de uma igreja católica do Novo México, EUA, está, há já dois meses, a libertar uma solução líquida pelos olhos. As "lágrimas", cuja composição química se assemelha à de azeite misturado com perfume, tem atraído crentes de todo o mundo, garante a comunidade clerical.

Foi no domingo de Pentecostes, celebrado a 20 de maio, que os paroquianos da Igreja Católica de Nossa Senhora de Guadalupe, em Hobbs, notaram que havia algo de diferente com a estátua da santa padroeira da cidade. Dos olhos da Virgem Maria, caíam lágrimas. A garantia é de Judy Ronquillo, responsável pela área de comércio da igreja, que, ao "The Washington Post", disse que o fenómeno insólito - divulgado, esta quarta-feira na imprensa - continua até hoje.

Em 12 anos de sacerdócio, o padre Jose Segura nunca viu nada igual, de tal forma que, ao início, até lhe custou a assimilar que o que via era real. O reverendo garantiu que a igreja está equipada com câmaras de vigilância e que não há evidência de que o fenómeno tenha sido provocado por ação humana. Caso houvesse indícios disso, "não permitiria que o fenómeno continuasse".

O diácono Jim Winder, responsável pela diocese de Las Cruces, à qual pertence a igreja em questão, garantiu que ele próprio e vários técnicos analisaram a estátua e a área circundante, incluindo o teto, não tendo encontrado sinais da existência de alguma anomalia ou alteração. Winder acrescentou que o fabricante da estátua já foi contactado e que foram dissipadas quaisquer teorias de que a estátua, oca e feita de bronze, pudesse estar a vazar alguma substância contida no seu interior. "Não há nada no interior que não devesse estar lá, a não ser teias de aranha", disse o bispo local Oscar Cantu à Fox News.

Investigadores recolheram para análise cerca de cinco mililitros das "lágrimas" e concluíram que o líquido tem a mesma composição química que azeite fundido com algum tipo de perfume, uma substância que, quando abençoada, compõe o crisma, óleo sagrado usado na Igreja Católica para fazer a unção. "Não acreditamos que o óleo de crisma tenha sido retirado da igreja e usado para adulterar esta estátua", disse Winder, que não avança qualquer explicação para o sucedido.

Segundo o "The Washington Post", que falou com vários membros da comunidade clerical daquela igreja, crentes de todo o mundo têm-se deslocado à igreja para verem a Virgem Mãe a chorar e confessarem-se perante a estátua.

Mais fascinante do que o fenómeno em si, será, para o escritor John Thavis, a reação que espoletou. "A Igreja Católica tem uma longa história de crença em episódios sobrenaturais", disse ao jornal norte-americano o especialista em assuntos religiosos, que escreveu o livro "As Profecias do Vaticano", em 2015. "Há uma espécie de curiosidade e entusiasmo quando algo do género acontece, porque parece confirmar a crença tradicional de que Deus atua no nosso próprio mundo e que, às vezes, o sobrenatural é visível em nosso mundo", continuou.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG