O Jogo ao Vivo

Mundo

Gangue feminino atacava homens para roubar sémen

Gangue feminino atacava homens para roubar sémen

Três mulheres acusadas de integrarem um gangue que atacava homens para lhes roubar roubar sémen começaram a ser julgadas esta segunda-feira no Zimbábue. A Polícia acredita que o produto do roubo se destinava a ser utilizado em rituais de prosperidade.

As autoridades do Zimbábue acreditam tratar-se de um grupo que funciona a nível nacional e cujo primeiros relatos foram conhecidos há cerca de um ano.

Em Julho, uma alegada vítima, que pediu anonimato, relatou a sua experiência à televisão, dizendo ter sido atacado após aceitar boleia de um grupo de três mulheres em Harare, a capital do país.

"Uma das mulheres atirou-me água para a cara e injectaram-me algo que me provocou um forte desejo sexual", contou. "Pararam o carro e forçaram-me a manter relações sexuais com cada uma delas diversas vezes, usando preservativos", disse.

"Quando terminaram, deixaram-me totalmente nu no meio do mato. Algumas pessoas ajudaram-me a chamar a polícia, que me levou ao hospital para tratar os efeitos da droga que me haviam dado, porque o forte desejo sexual continuava", afirmou.

Prostitutas ocupadas

As mulheres, entretanto detidas, foram acusadas de 17 ataques indecentes agravados - já que a lei do Zimbábue não considera violação quando uma mulher força um homem a manter relações sexuais.

PUB

As acusadas foram detidas no início deste mês de Novembro em Gweru, a 275 quilómetros de Harare, após os agentes da polícia terem encontrado 31 preservativos usados no carro em que estas viajavam. As mulheres negam as acusações, justificando que são prostitutas e que não haviam deitado fora os preservativos porque estavam muito ocupadas.

Libertadas sob fiança, as três mulheres foram ameaçadas por uma multidão. Dizem que, desde então, foram forçadas a permanecer dentro de casa.

O porta-voz da Polícia, Andrew Phiri, citado pela BBC, disse acreditar que as mulheres pertencem a um gangue que actua em todo o país. "Recebemos relatos de diferentes cidades e províncias do país de que isso está a acontecer nas estradas", disse. "Ainda temos de descobrir por que isso está a acontecer. Ouvimos especulações de que está ligado a rituais", afirmou.

Acredita-se que o sémen seja usado em rituais para trazer sucesso nos negócios e há rumores de que tem sido vendido para outros países.

Os primeiros relatos de ataques foram alvo de curiosidade e descrença, mas vários homens citado pela BBC disseram que agora encaram a questão com seriedade: "Agora só ando de autocarro quando ele está cheio e não aceito boleias em carros particulares, principalmente se houver mulheres dentro", afirmou um homem que se identificou. "Temos que ter cuidado porque há mulheres a atacar homens. Isso está mesmo a acontecer", disse.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG