"Não consigo dormir"

Homem belga recebe há nove anos pizzas, kebabs e hambúrgueres que nunca pediu

Homem belga recebe há nove anos pizzas, kebabs e hambúrgueres que nunca pediu

O momento parece cómico, mas há nove anos que Jean Van Landeghem, de 65 anos, não tem vontade de rir. Durante vários dias, às vezes várias vezes em 24 horas, o idoso recebe em casa pedidos de comida que nunca solicitou. O caso já é conhecido em alguns restaurantes da Bélgica.

A história de Van Landeghem já corre mundo. O jornal espanhol "El País" testemunhou esta semana o nervosismo e a indignação do homem de 65 anos, que recebe comida em casa há nove anos, sem que nunca tenha pedido nada. Já fez várias vezes queixas às autoridades, mas ninguém consegue descobrir quem faz as solicitações. "Não tenho ideia da identidade do culpado ou porque faz isto. Estou enjoado e cansado da situação e gostaria que terminasse. Não consigo dormir por causa do stress", escreveu o idoso numa reclamação.

Os pedidos são vários: pizzas, kebabs, asas de frango e hambúrgueres. Por vezes, vêm de restaurantes localizados a centenas de quilómetros de distância da residência de Jean Van Landeghem, em Turnhout, na Bélgica. Um dos exemplos mais flagrantes aconteceu a 29 de maio deste ano. Foi feito um pedido falso para a morada do idoso de uma pizzaria de Düsseldorf, na Alemanha.

O prevaricador não faz por menos e encomenda doses grandes com valores entre os 39 e os 54 euros. Além do aborrecimento que causa ao idoso, também os estabelecimentos ficam a perder. Os pedidos são feitos através da plataforma Takeaway.com, em que existe a opção de pagar com dinheiro na morada. Quando chegam à casa de Van Landeghem, os estafetas percebem que o pedido é falso, voltam com a comida para o restaurante e sem dinheiro. O autor das solicitações usa emails diferentes e nomes falsos.

A poucos minutos da casa do homem de 65 anos, uma pizzaria já conhece a trama e ignora os pedidos falsos quanto entram no sistema. O proprietário já avisou inclusive os 15 funcionários. Mas nem sempre corre bem. "Às vezes chegam novos funcionários que não o conhecem, ou estamos com uma centena de pedidos ao mesmo tempo e não percebemos", diz Ali Akin, dona da "Pizza Talia".

Neste momento, Van Landeghem só quer que o deixem em paz. O reformado é acordado regularmente de madrugada, porque algum estafeta de um restaurante lhe toca à campainha quando já está a dormir. "Eu tenho problemas cardíacos, então não é a melhor coisa levantar-me repentinamente às duas da manhã", esclarece.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG