Inglaterra

Inglês acusado de recensear o cão para votar

Inglês acusado de recensear o cão para votar

O dono de um rottweiler está a ser investigado pela polícia inglesa por ter, alegadamente, recenseado o seu cão para votar nas eleições europeias.

Russel Hoyle, um segurança residente em Stockton-on-Tees, no nordeste do Reino Unido, corre o risco de ser preso depois de ter sido denunciado à polícia por, supostamente, ter preenchido um formulário que permitia ao cão Zeus votar.

Durante o último recenseamento, um oficial terá confundido as informações dadas por Hoyle, quando lhe explicava quem vivia na sua casa. "Eu e a minha mulher. O meu filho não tem idade suficiente para votar. Temos o Zeus a viver aqui também e ele tem 63 em anos de cão", explicou o segurança de 45 anos. Mais tarde, recebeu um cartão de voto com o nome de "Zeus Hoyle", para as eleições do Parlamento Europeu, no dia 22 de maio.

O Concelho de Stockton mandou então a Hoyle uma carta a informar que podia receber uma multa ou mesmo ser preso, depois de ter alegadamente fornecido detalhes sobre o cão para o formulário eleitoral. A carta exigia a sua presença numa estação da polícia local para ser interrogado.

Hoyle assegura que é inocente e que não pensou que a informação fosse levada a sério. "Estou convencido de que não preenchi o formulário. Tudo isto foi só uma brincadeira e foi longe demais. A minha família está indignada", afirmou o dono de Zeus.

"Apesar de acharmos que registar um cão para votar possa ser divertido, é uma ofensa fornecer informação falsa num formulário para registo eleitoral e somos obrigados a comunicar casos como este à polícia", disse um representante do Conselho de Stockton.