Buscas

Desde julho que uma cobra gigante anda à solta na Polónia

Pele que animal perdeu|

 foto Twitter

Pele que animal perdeu|

 foto Twitter

Rasto do animal|

 foto Twitter

Uma cobra píton de 5,5 metros anda à solta na Polónia desde julho, motivando buscas que envolvem dezenas de efetivos e causando medo na população.

As buscas por esta cobra gigante tornaram-se tão mediáticas no país que já "batizaram" o animal como Bertha.

Segundo a associação Resgate Animal da Polónia (ARP, na sigla original) trata-se de uma píton-indiana fêmea da espécie Python molurus molurus. Por não ser uma espécie existente no país, a associação suspeita que terá pertencido a um criador de cobras.

Membros da associação começaram à procura do animal em julho após vários relatos de que uma cobra andava à solta no interior do país, ao serem encontrados longos pedaços de pele do animal perto do rio Vístula, no sul da capital, Varsóvia. Inicialmente pensou-se que o animal teria cerca de dois metros de comprimento, mas depois foi encontrado um pedaço de pele com cerca de cinco metros, sugerindo que poderá ter até seis metros.

Dois meses depois a Bertha continua à solta e há mais de 80 pessoas envolvidas nas operações para a localizar, nomeadamente, especialistas em cobras, bombeiros e polícias, além de um cão treinado para a busca de droga e quatro drones.

Segundo o biólogo Radoslaw Ratajszczak, em entrevista ao portal "Live Science", esta espécie de cobra caracteriza-se por ser rápida e boa nadadora, pelo que até já pode estar longe. Por outro lado, trata-se de um animal habituado a baixas temperaturas, pelo que será difícil sobreviver na natureza.

Argumentos que não chegam para acalmar a população polaca, só de pensar que inesperadamente se podem cruzar com Bertha.

Este animal alimenta-se de roedores e outros mamíferos, emboscando as presas e apertando-as até que sufoquem, engolindo-as depois inteiras.