Mundo

Canibal pediu "vampira" em casamento

Canibal pediu "vampira" em casamento

Um "canibal" e uma "vampira" apaixonaram-se num hospital psiquiátrico, na Suécia. Parece anedota, mas é verdade. Ele está internado porque comeu a ex-namorada, ela porque bebeu o sangue do ex-namorado.

O "canibal" Isakin Jonsson, 33 anos, pediu a "vampira" Michelle Gustafsson, de 23, em casamento. Conheceram-se numa unidade psiquiátrica de alta segurança, na Suécia, e dizem que estão apaixonados.

Os antecedentes amorosos de um e outro são a prova de que o amor é louco: ele matou e comeu partes do corpo da anterior namorada; ela sangrou o ex-namorado até ao último suspiro.

Isakin Jonsson degolou a ex-namorada, Helle Christensen, mãe de cinco crianças, em Novembro de 2010. Cortou-lhe a cabeça e comeu pedaços do corpo. Michelle Gustafsson esfaqueou Daniel Stenman e depois bebeu o sangue do ex-namorado.

No início do mês, Jonsson terá ligado ao tablóide "The Sun" a pedir dinheiro para contar a história de um amor improvável. "Amo a Michelle - nunca conheci ninguém como ela. Quero ter uma vida afastada do crime", disse, na curta conversa registada pelo jornal britânico.

O "The Sun" clama ter dito que não dava dinheiro a alguém culpado de "tamanho horror" e Isakin Jonsson disse que a chamada terminava ali.

Jonsson usou uma das prerrogativas do liberal sistema judicial sueco, que lhe permitiu comutar a pena de prisão perpétua por um internamento indefinido num hospital psiquiátrico.

Entre os privilégios, os detidos têm acesso a telefone e serviço Net. Contam vários média internacionais, o casal conheceu-se através do sistema de mensagens de Internet do hospital psiquiátrico de alta segurança de Karsuddens, em Katrineholm, na Suécia.

O pedido foi conhecido a 1 de Fevereiro, bem a tempo de ser notícia no Dia de S. Valentim, mas até agora ainda não há qual informação da decisão das autoridades suecas.