Mundo

China proíbe mais de duas moscas nas casas de banho públicas

China proíbe mais de duas moscas nas casas de banho públicas

Duas moscas é o número máximo de insetos que as casas de banho públicas de Pequim vão poder ter. Esta decisão está a agitar as redes sociais chinesas, onde se ridiculariza a medida.

As casas de banho públicas dos aeroportos, estações de comboio, centros comerciais e supermercados de Pequim vão passar a ser inspecionadas, de modo a garantir que o limite de duas moscas não é excedido.

De acordo com a informação avançada pelo Gabinete de Imagem da cidade, "se houver mais de duas moscas, o wc público perde 1,33 pontos de um total de 100", sendo que, até agora, "a maioria dos locais inspecionados não excedeu o número de moscas imposto, tal só aconteceu nos mal administrados".

Para cumprir com a nova medida, os funcionários de limpeza responsáveis devem implementar inúmeros sistemas para acabar com as moscas. Aparelhos elétricos, películas de cola ou inseticidas são as opções para a exterminação dos insetos.

Em declraçõe ao "Diário de Pequim", Xie Guomin, do Gabinete de Imagem de Pequim, destacou que em cada casa de banho vai existir um número de telefone para fazer denúncias.

A medida está a agitar as redes sociais chinesas, nas quais os utilizadores ridicularizam a medida.

Sobre a existência de um telefone dentro da casa de banho, uma jovem universitária questiona: "quem vai ter tempo para fazer uma chamada num local do qual se quer sair o mais rapidamente possível?".

Outros utilizadores da "Weibo", a rede equivalente ao "Twitter" na China, escrevem que seria muito mais eficiente melhorar o nível de limpeza das instalações, ao invés de se preocuparem com matar moscas.

Para além das moscas, o Gabinete também recomenda a promoção do uso do tanque de água nas casas de banho públicas e esvaziar os depósitos de lixo utilizados com mais frequência.