Mundo

Identificado o "canibal de Miami"

Identificado o "canibal de Miami"

O homem que, no passado sábado, foi morto pela polícia depois de ser apanhado a cometer atos de canibalismo, foi identificado. Ruby Eugene, de 31 anos, um afroamericano com historial de tráfico e consumo de drogas, terá agido sob efeito de uma nova droga conhecida como "sais de banho".

O caso do "canibal de Miami" tem percorrido os meios de comunicação e as redes sociais por todo o mundo. As televisões locais foram invadidas pela história e o Twitter tem já três contas criadas que "dão vida" ao alegado canibal: "The Miami Zombie"; "Miami Zombie"; e "MiamiZombieGuy".

Ruby Eugene começou a ter problemas com a lei quando tinha 16 anos e foi acusado de agredir um outro jovem. Desde essa altura, foi preso sete vezes em cinco anos por vender marijuana em escolas secundárias e zonas residenciais.

Em dezembro de 2005, casou-se com Janney Ductant, da qual se divorciou dois anos depois. Em declarações à imprensa local, Janney diz: "Não diria que tinha problemas mentais, mas ele achava sempre que toda a gente estava contra ele".

No passado sábado, foi morto pela polícia de Miami, quando foi apanhado a cometer atos de canibalismo, num corredor pedonal no viaduto de McArthur, no centro de Miami.

Ruby, de 31 anos, arrancou e comeu partes da cara da vítima. A polícia tentou impedir o agressor com um tiro na perna, mas não foi suficiente para o deter. Um agente voltou a disparar, acabando por matar o agressor no local.

O agente que abateu o canibal está a receber tratamento psiquiátrico.

A vítima ficou desfigurada e foi transportada imediatamente para o hospital, onde continua em estado crítico e ainda por identificar.

As autoridades locais acreditam que Ruby agiu sob influência de uma droga pouco conhecida, "sais de banho", um derivado artificial da cocaína cujos cristais de assemelham aos sais relaxantes musculares.