Anatomia

Investigação sobre temperatura dos testículos ganha prémio Ig Nobel

Investigação sobre temperatura dos testículos ganha prémio Ig Nobel

Uma investigação sobre a temperatura dos testículos é um dos vencedores dos prémios Ig Nobel, atribuídos às descobertas científicas mais estranhas do ano.

Os vencedores da 29.ª edição dos prémios Ig Nobel foram anunciados na quinta-feira, na Universidade de Harvard, no Estado norte-americano do Massachusetts. O galardão, entregue anualmente, visa "celebrar o incomum, homenagear a imaginação e estimular o interesse das pessoas na ciência, na medicina e na tecnologia", destacando investigações "que primeiro fazem rir e depois fazem pensar"

Na categoria de Anatomia, o primeiro prémio foi para os especialistas em fertilidade Roger Mieusset, Louis Boujan e Bourras Bengoudifa, pelo estudo de 2007 "Assimetria térmica do escroto humano", publicado na revista "Human Reproduction", que mede a assimetria na temperatura dos testículos.

O estudo dividiu-se em três experiências: a primeira envolveu oito homens, submetidos a quatro posições corporais diferentes durante 15 minutos cada uma, com e sem roupa; a segunda incidiu sobre 11 funcionários dos correios, de pé durante 90 minutos seguidos; e a terceira teve como alvos 11 motoristas de autocarros em posição de condução durante igual período de tempo.

Depois de analisarem os valores recolhidos por sensores estrategicamente posicionados, os cientistas observaram uma "falta de simetria térmica" em ambos os testículos. Em todas as experiências, concluíram que o testículo esquerdo é mais quente que o direito, mas apenas quando os homens estavam vestidos. A diferença de temperatura pode contribuir para a assimetria nos órgãos genitais externos masculinos.

Mieusset, co-autor da investigação e especialista em medicina reprodutiva na Universidade de Toulouse, é o inventor de uma cueca térmica que, em algumas condições, funciona como contracetivo.

Uma outra investigação sobre o mesmo tema sugere que a temperatura a que os testículos são submetidos pode afetar a fertilidade dos homens e concluiu que a qualidade do esperma nos países ocidentais está em declínio.

Pizza contra cancro e máquina que troca fraldas

Entre as investigações destacadas na 29.ª edição dos prémios Ig Nobel, saliente-se ainda a dos cientistas que estudaram o prazer de aliviar a comichão e a dos que analisaram o volume total de saliva produzido por uma criança de cinco anos. Silvano Gallus levou para casa o prémio na categoria de Medicina por descobrir que comer piza pode proteger contra doenças (nomeadamente cancro), mas apenas se for feita e comida em Itália. Iman Farahbakhsh, do Irão, venceu o prémio de Engenharia graças a uma máquina que troca a fralda dos bebés e que foi patenteada nos Estados Unidos no ano passado.