Índia

Jovem queimada viva depois de ser dada como morta

Jovem queimada viva depois de ser dada como morta

As autoridades do estado indiano de Uttar Pradesh estão a investigar o caso de uma jovem de 21 anos que terá sido queimada viva pelo marido, depois de o Sharda Hospital, em Grande Noida, a ter dado como morta.

A certidão de óbito emitida pelo hospital refere que Neeta, que chegou ao centro hospitalar em "estado crítico", morreu às 23.45 horas de domingo e que a causa da morte foi infeção pulmonar.

Segundo a imprensa indiana, o corpo foi entregue ao marido, Amit, às 1:27 horas de segunda-feira, antes de o homem se dirigir à cidade de Aligarh, onde o cadáver foi queimado na fogueira, conta o "Hindustan Times" (HT).

O irmão de Neeta suspeitou dos contornos da morte da jovem e contactou a polícia de Aligarh, que conseguiu travar o ritual e levou o corpo, com 70% de queimaduras, para ser autopsiado.

Os resultados da autópsia foram claros e contrariaram a certidão de óbito emitida pelo Sharda Hospital: "Morreu com o choque de ter sido queimada viva", disse o chefe da polícia local, Rajesh Pandey, ao HT, citando as últimas conclusões médicas. A mesma fonte explicou que a evidência de que a mulher foi queimada viva se deveu à descoberta de partículas carbonizadas dentro dos seus pulmões e traqueia.

"Isso acontece quando alguém é queimado vivo. As partículas entram para o corpo com a respiração. Se uma pessoa estiver morta, as partículas não conseguem chegar aos pulmões nem à traqueia. Por isso, os médicos concluíram que a mulher foi queimada viva na fogueira", disse o agente Pandey.

Depois de o relatório médico ter vindo a público, na terça-feira, um tio da vítima levantou um processo contra o marido e dez membros da sua família, acusando-os de rapto e homicídio. A polícia está a procurar os suspeitos que, entretanto, se puseram em fuga.

O Sharda Hospital manteve a sua posição inicial, disse o HT.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG