Índia

Homem acusado de matar colega com mangueira de alta pressão

Homem acusado de matar colega com mangueira de alta pressão

Um homem morreu quando um colega de trabalho lhe inseriu uma mangueira de alta pressão, usada para lavar carros, no ânus. A família da vítima acredita que se trata de um crime que resultou de uma discussão entre ambos os funcionários de um stand de automóveis.

Sheikh Yakub, um muçulmano de 48 anos, trabalhava no stand da Toyota de Bombaim, na Índia, onde lavava carros. Morreu com uma mangueira de alta-pressão inserida no ânus e a família acredita tratar-se de um crime.

O incidente terá ocorrido após uma discussão sobre a prática de sacrifício de animais com Santosh Aherkar, um dos colegas, que usou, alegadamente, o instrumento de limpeza. Aherkar foi detido e é acusado de homicídio.

A polícia acredita que a morte de Yakub foi um acidente, mas a família da vítima não acredita que tenha resultado de uma brincadeira.

O irmão da vítima contou, em comunicado, na passada quarta-feira, o que Aherkar terá dito a Yakub: "Tinhas carneiro, nós vamos tirar-te o carneiro agora."

"Só queremos justiça, porque simplesmente não podemos acreditar que isto... é o trabalho de um homem só", acrescentou a filha, segundo o "Indian Express".

"Se Aherkar se aproximou de Yakub com a mangueira de pressão ligada, o barulho deve tê-lo alertado", disse Susan Abraham, da Comissão da Proteção dos Direitos Democráticos. "Suspeitamos que ele tenha sido preso por alguém enquanto Aherkar inseriu o tubo. Isto é uma conspiração de silêncio entre a polícia e a empresa."

Deven Bharti, um agente das autoridades, disse que a investigação do caso ainda está a decorrer. "Se alguém tiver novas informações para partilhar, que se sinta à vontade para falar com as autoridades. As declarações serão gravadas e serão tomadas as medidas apropriadas", acrescentou.

A Toyota não quis comentar a morte do funcionário, que ocorreu a 29 de setembro passado.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG