Humor

O "berro" de um jacaré que inalou hélio e a faca feita de fezes. Eis os Ig Nobel 2020

O "berro" de um jacaré que inalou hélio e a faca feita de fezes. Eis os Ig Nobel 2020

Os prémios satíricos Ig Nobel 2020 foram apresentados quinta-feira. Há uma nova doença diagnosticada (não, não é a covid-19), experiências insólitas com uma fêmea de jacaré e um "elogio" a Bolsonaro e Trump na categoria de "Educação Médica".

São experiências tão insólitas quanto reais. Já imaginou um jacaré-da-china numa câmara hermética a emitir sons depois de inalar hélio? Um grupo de investigadores da Áustria, Suécia, Japão, EUA e Suíça decidiu analisar a forma como estes animais comunicam entre si e fez essa experiência. O resultado? Um galardão na categoria "Acústica" na 30.ª edição dos prémios Ig Nobel, apresentados esta quinta-feira.

A semelhança entre o nome atribuído às distinções e a palavra "ignóbil" não é coincidência. Os prémios satíricos foram lançados, em 1991, por Marc Abrahams, editor da revista americana de humor e ciência "Annals of Improbable Research" e destacam, muitas vezes, pequenas descobertas obtidas durante investigações maiores, que, encaradas individualmente, parecem absurdas.

A lista de galardoados continua com as "experiências" mais inesperadas. Metin Eren, do Ohio, por exemplo, decidiu testar a história descrita em livro de um inuit que construiu uma faca a partir das próprias fezes congeladas. O antropólogo imitou a proeza mas não, a faca não funcionou, e rendeu-lhe um prémio na categoria "Ciência dos Materiais".

Na vertente de "Educação Médica", os vencedores foram os presidentes Jair Bolsonaro (Brasil), Donald Trump (EUA), Andrés Obrador (México), Alexander Lukashenko (Bielorrússia), Erdogan (Turquia), Putin (Rússia) e Gurbanguly Berdimuhamedov (Turquemenistão) e os primeiros-ministros Boris Johnson (Reino Unido) e Narendra Modi (Índia). Porquê? Porque usaram a covid-19 para mostrar ao mundo que os políticos podem ter um efeito mais direto em questões de vida ou morte do que os próprios cientistas e médicos.

Na secção "Entomologia" (especialidade da biologia que estuda os insetos), o Ig Nobel foi entregue a Richard Vetter, cientista que analisou o motivo pelo qual os estudiosos de insetos desenvolvem aversão a aranhas. Em "Psicologia" venceu um método que identifica narcisistas através da observação das suas sobrancelhas, sendo que o galardão da "Física" foi atribuído a um estudo sobre o efeito da vibração de alta frequência no corpo de uma minhoca.

De referir ainda a categoria "Economia", na qual se destacou o estudo da correlação entre a desigualdade de rendimentos num país e a média de beijos na boca dados pelos seus cidadãos; "Medicina", com o diagnóstico de uma nova doença psiquiátrica - misofonia - cujos pacientes sofrem quando ouvem uma pessoa a mastigar; "Administração", galardão atribuído a cinco chineses assassinos que foram delegando uns aos outros a tarefa de matar uma pessoa e ninguém conseguiu concretizar o crime, e "Paz", prémio entregue aos governos da Índia e do Paquistão por deixarem os seus diplomatas tocarem às campainhas a meio da noite e fugirem.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG