Mundo

Vídeos de sexo a promover língua basca causam polémica

Vídeos de sexo a promover língua basca causam polémica

A Fundação Leizaola fez uma conjunto de vídeos de cariz sexual para ajudar a promover o uso da língua basca. As imagens publicadas no YouTube estão a levantar um coro de críticas, que põem em dúvida o bom gosto da campanha, até porque a fundação é financiada por dinheiros públicos. Veja o vídeo.

Num dos vídeos da campanha, dois homens e uma mulher semi-despidos conversam em basco para demonstrar os vários usos que a língua pode ter, incluindo no âmbito de relações sexuais.

De acordo com uma primeira declaração do presidente da fundação que promove a cultura basca, "trata-se simplesmente de forma de mostrar aos jovens que o basco não serve apenas para passar nos exames", mas também noutros contextos "relacionados com o ócio", revela o "Diario Vasco".

O mesmo jornal sublinha uma mudança de posição da Fundação Leizaola. Um dos vídeos já foi retirado do YouTube e o presidente publicou uma nota em que considerava os vídeos como contrários ao "espírito e linha de pensamento" deles.

Num comunicado no site da fundação, afirma-se que as imagens foram colocadas no YouTube por pessoas alheias à instituição e destinavam-se apenas a ser visionadas para aprovação.

"Trata-se de um trabalho inacabado em que o áudio e vídeo não estão sincronizados e em que grande parte dos diálogos seriam retirados", garante o comunicado.

O Governo basco, que deu 3500 euros para o financiamento da campanha, garante que não conhecia o teor que os vídeos iriam ter. "A subvenção foi concedida para promover a língua basca, mas não esperava que o resultado fosse este", garante um responsável pelo governo regional citado pelo site "Periodista Digital".