Redes sociais

"Violência gráfica e assédio sexual". Instagram censura imagem de cozido galego

"Violência gráfica e assédio sexual". Instagram censura imagem de cozido galego

Uma fotografia de um prato de cozido galego, semelhante ao cozido à portuguesa, foi censurada pela rede social Instagram. A explicação dada ao utilizador foi a de que a imagem infringia as "normas comunitárias".

Richard Barreira decidiu publicar, este domingo à hora de almoço, nas redes sociais uma foto do "primeiro cozido" da estação feito pela mãe. Ficou surpreendido ao saber que a imagem tinha sido retirada do Instagram à tarde.

O cozido galego, tal como o cozido à portuguesa, tem ingredientes como a carne, os enchidos, as batatas e os legumes. Os espanhóis acrescentam, por exemplo, o grão de bico.

A explicação dada pela rede social foi a de que a fotografia do prato violava "as normas comunitárias" ao incluir "violência gráfica" e "linguagem que incita ao assédio, intimidação e à atividade sexual".

O espanhol ficou sem entender se a publicação foi denunciada por outra pessoa e diz que a intervenção do Instagram é "surreal". Não recebeu mais explicações por parte da rede social.

Segundo escreve a imprensa local da Galiza, Richard Barreira já partilhou o sucedido em contas oficiais da Junta da Galiza. O espanhol afirmou não compreender como são partilhadas centenas de imagens de hambúrgueres todos os dias, mas a censura aplica-se (somente) a um cozido galego.

Entretanto, Richard colocou novamente as fotografias e estas parecem ter sido aceites pelo Instagram desta vez. Na descrição, o espanhol agradeceu por todas as mensagens de apoio que recebeu e acompanhou a descrição da publicação com a hashtag #menoscensuraymascocido (menos censura e mais cozido).