Psicologia

Narcisistas podem ser cruéis mas são "mais felizes", conclui estudo

Narcisistas podem ser cruéis mas são "mais felizes", conclui estudo

Um estudo científico conclui que, apesar de apresentarem uma autoestima super-inflacionada e de não mostrarem "vergonha" ou "culpa", as pessoas narcisistas serão provavelmente mais felizes do que as outras.

Um estudo sobre narcisismo realizado por investigadores da Universidade de Queen, em Belfast, Irlanda do Norte, concluiu que pessoas narcisistas podem provocar impaciência e exasperação noutras pessoas, mas são menos propensas a ficarem stressadas ou deprimidas.

Os investigadores tentavam entender porque é que o narcisismo está "em ascensão nas sociedades modernas" - na política, nas redes sociais e na cultura de celebridades - e é muitas vezes recompensado se também é visto como "socialmente tóxico" - pessoas narcisistas são propensas a "envolver-se em comportamentos arriscados, têm uma visão superior irrealista de si mesmas, são excessivamente confiantes, mostram pouca empatia pelos outros e têm pouca vergonha ou culpa".

A investigação, que contou com a participação de 700 adultos, diagnosticados com transtorno de personalidade narcisista, sugere que, embora possa ser prejudicial para a sociedade, o narcisismo parece ser benéfico para quem sofre da doença, a nível individual, segundo o psicólogo Kostas Papageorgiou, citado pela BBC. Ou seja, apesar de poderem causar danos emocionais no outro, as pessoas que sofrem desse transtorno de personalidade parecem ser imunes a sentirem-se mal consigo mesmas; são mais propensas a viver a vida com autoconfiança, exacerbando qualidades.

O especialista ressalvou, no entanto, que diferentes dimensões de narcisismo podem provocar efeitos emocionais distintos. Enquanto pessoas narcisistas com características fortes e "grandiosas", podem ter uma "preocupação com o estatuto e o poder" e um "sentido de importância super-inflacionado", narcisistas "vulneráveis" podem ser muito mais defensivos e tendem a ver o comportamento de outras pessoas como "hostis".

Tais traços psicológicos, defende, "não devem ser vistos como bons ou maus, mas como produtos da evolução e expressões da natureza humana que podem ser benéficos ou prejudiciais, dependendo do contexto".

A conclusão do estudo segue um trabalho anterior da mesma equipa de investigação, segundo o qual os narcisistas eram mais propensos a ter sucesso no trabalho e na vida social, devido a uma "resistência mental" essencial na superação da rejeição ou deceção.