Exclusivo

NATO reforça defesa contra ataque nuclear

NATO reforça defesa contra ataque nuclear

Ucrânia receberá sistemas antiarmas químicas e serão reforçados os contingentes nos países da Aliança. Biden promete responder na mesma moeda ao uso de bombas de destruição maciça.

Ao 29.º dia de guerra na Ucrânia, o Mundo está em alerta máximo. Na quinta-feira, intensificaram-se os receios de que Vladimir Putin se socorra de armas químicas ou nucleares e o presidente dos Estados Unidos da América (EUA) prometeu responder na mesma moeda. Primeiro, o líder ucraniano, Volodymyr Zelensky, foi à cimeira da NATO dizer que a ameaça "é real". Depois, os países da Aliança Atlântica responderam com o anúncio do envio de sistemas de defesa contra armas de destruição maciça para o território de conflito. Enquanto isso, o flagelo humanitário continua.

A resolução saída da cimeira de ontem da NATO, em Bruxelas, fornece à Ucrânia "proteção contra ameaças de natureza química, biológica, radiológica e nuclear". O pacote de defesa da Ucrânia implica ainda "assistência em áreas como a segurança cibernética" e um reforço da ajuda humanitária, em particular dos EUA, que estão disponíveis para acolher 100 mil refugiados no imediato.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG