Mundo

Nigéria: 25 mortos num ataque atribuído a islâmicos radicais

Nigéria: 25 mortos num ataque atribuído a islâmicos radicais

Pelo menos 25 pessoas morreram domingo num ataque contra um bar em Maiduguri atribuído a grupos islâmicos que lançaram explosivos e dispararam tiros contra o estabelecimento, revelaram as forças de seguranças e testemunhas do ataque.

O ataque ao bar muito frequentado da zona de Dala Kabompi, na periferia de Maiduguri, capital do estado de Borno, terá sido perpetrado por dois homens que circulavam num motociclo e que estarão ligados ao grupo islâmico extremista Boko Haram, de acordo com as fontes policiais e militares que prestaram declarações sob anonimato.

Cerca de trinta clientes do bar ficaram igualmente feridos, indicou um polícia, ao acrescentar que os agressores aproveitaram a confusão gerada para fugir.

"É difícil fazer um balanço exacto (do número de mortos), mas nunca será menos de duas dezenas", declarou um oficial do exército, em Maiduguri, acrescentando ainda que os agressores já deveriam saber de antemão de que a zona era local de convívio ao fim de semana.

Emmanuel Okon, proprietário de um pequeno comércio de rua, e testemunha dos acontecimentos, faz um balanço mais grave.

"Ouvi apenas uma forte explosão, seguida de tiros esporádicos e fumo, o que fez com que as pessoas gritassem e corressem em todas as direcções", testemunhou.

O grupo Boko Haram, cujos membros se auto-intitulam talibãs do Afeganistão e cujo número de efectivos é desconhecido, tinha protagonizado uma insurreição mortífera em 2009 e, segundo a polícia, tem sido responsável por dezenas de assassinatos e ataques a postos policiais, igrejas ou bares nos últimos meses.

No dia 19 de Junho, presumíveis membros do grupo abriram fogo sobre populares numa rua de Maiduguri, matando duas pessoas num ataque também protagonizado por dois homens a circularem de motociclo.

A 16 de Junho, o grupo levou a cabo um atentado suicida numa viatura contra o quartel general da polícia federal em Abuja, que fez dois mortos e vários feridos.

E a 30 de maio, morreram 18 pessoas na sequência de bombas lançadas depois da tomada de posse do presidente Goodluck Jonathan, na periferia de Abuja e nas províncias do norte, Borno e Bauchi.

Outros Artigos Recomendados