França

Noiva vai casar com militar morto por atirador de Toulouse

Noiva vai casar com militar morto por atirador de Toulouse

A noiva de Chennouf Abel, um dos três militares mortos pelo "atirador de Toulouse", vai poder casar com o falecido noivo. Está grávida e já foi autorizada pelo presidente francês, Nicolas Sarkozy.

Chennouf Abel foi a enterrar no dia 22 de Março, uma semana depois de ter morrido, baleado pelo suposto atirador de Toulouse. A noiva, conhecida apenas por Carolin, está grávida e obteve a autorização do presidente francês para casar a título póstumo com o noivo, uma das duas vítimas de um ataque de Mahomed Merah a um grupo de militares em Montauben, a 15 de março.

"Acabamos de obter autorização do Eliseu [palácio presidencial francês] para que a companheira de Chennouf Abel possa casar-se com ele depois de morto", disse Gilbert Collard, advogado da família de Carolin, que espera um filho do paraquedista, que foi uma das sete vítimas do chamado "assassino da scooter", que matou quatro adultos e três crianças, em três ataques separados: 11, 15 e 19 de março.

PUB

Com uma gestação em estado avançado, Carolin teve de assistir ao funeral do noivo numa cadeira de rodas e vai poder, agora, finalizar o processo de casamento com Chennouf Abel.

Segundo Collard, este procedimento rege-se pelo artigo 171 do Código Civil francês, o qual estabelece que o presidente da república "poderá, por motivos graves, autorizar o matrimónio se a noiva ou o noivo morreu depois de finalizados os requisitos oficiais que determinam o consentimento mútuo".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG