Descoberta

Novas colónias de pinguins na Antártida detetadas do espaço

Novas colónias de pinguins na Antártida detetadas do espaço

Imagens de satélite revelaram 11 novas colónias de pinguins-imperadores na Antártida, aumentando em 20% o número de colónias conhecidas desta espécie ameaçada.

A descoberta das novas colónias foi possível graças às imagens de alta definição do novo satélite Sentinel-2 da Agência Espacial Europeia, que detetou as manchas de fezes que as aves deixam na superfície do gelo.

De acordo com o investigador Peter Fretwell, do "British Antarctic Survey" (instituto, com sede em Cambridge, que fornece investigações interdisciplinares sobre as regiões polares), as novas colónias são compostas, cada uma, por algumas centenas de pinguins, número abaixo da média de pinguins por colónia. Esta descoberta aumenta a população total de pinguins-imperadores entre cinco a 10%, estima Fretwell, citado pelo jornal britânico "The Guardian".

Os pinguins-imperadores são a única espécie de pinguins que se reproduz no gelo e não na terra, tornando-se especialmente vulneráveis ​​à crise climática. Todas as novas colónias foram avistadas em áreas de risco, segundo os investigadores, uma vez que o aquecimento global afeta cada vez mais a Antártida.

"As novas colónias são uma descoberta emocionante", descreveu o investigador. "Embora seja uma boa notícia, as colónias são pequenas, com pouco mais de meio milhão de pinguins". Atualmente, existem 61 colónias de pinguins-imperadores conhecidas na Antártida. "Pode haver uma ou duas colónias muito pequenas ainda por descobrir, mas acho que preenchemos todas as lacunas agora", disse Fretwell.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG