Argentina

Sobe para 17 o número de mortos após consumo de droga adulterada

Sobe para 17 o número de mortos após consumo de droga adulterada

Pelo menos 17 pessoas morreram e mais de 50 continuam hospitalizadas, com diferentes níveis de gravidade, segundo o mais recente balanço das autoridades sobre o alegado consumo de cocaína adulterada na periferia de Buenos Aires.

O número de vítimas devido ao alegado consumo de cocaína adulterada em Buenos Aires aumentou de nove para 17, nas últimas horas, após a confirmação de mais mortes em hospitais do oeste e norte dos subúrbios da capital.

"Atualmente há 56 pessoas hospitalizadas, das quais 26 estão com assistência respiratória mecânica", referiram na quarta-feira as autoridades argentinas, na noite de quarta-feira.

O número de internados está em "constante expansão" e há relatos de pessoas que morreram nas suas casas ou na via pública, embora o número exato ainda não tenha sido identificado.

O governo da província de Buenos Aires emitiu um comunicado inédito de advertência sobre o uso de cocaína.

"Desloque-se imediatamente a uma unidade de saúde se tiver dificuldades respiratórias crescentes ou sonolência caso tenha consumido cocaína nas últimas 24 horas", pode ler-se na comunicação do Ministério da Saúde.

As autoridades de Buenos Aires apelaram ainda a quem comprou droga nas últimas 24 horas para tentarem descartá-la.

PUB

A polícia de Buenos Aires acionou uma operação ao meio-dia na zona de Tres de Febrero, no noroeste da capital, para encontrar os responsáveis pela comercialização desta substância.

De acordo com fontes policiais citadas pelos meios de comunicação locais, um dos intoxicados admitiu ter comprado a droga nas proximidades da "Puerta 8", uma favela localizada em Tres de Febrero, onde os agentes de segurança já estão a trabalhar para a retirar de circulação.

Do mesmo local, o ministro provincial da Segurança, Sergio Berni, assegurou que estas mortes se devem a um processo de "estiramento" da cocaína, que consiste em adicionar outras substâncias, como o amido, para alargar os seus efeitos narcóticos, embora não excluam a possibilidade de se tratar de outro tipo de droga.

"É possível que a análise mostre que não é cocaína, mas sim pó de talco com algum anestésico para gerar a falsa sensação de que se está drogado", disse Berni ao canal TN, acrescentando que os peritos já estão a analisar as amostras de droga para clarificar a sua composição.

O chefe de segurança de Buenos Aires advertiu que os mortos sofreram uma paragem cardíaca e respiratória "extremamente violenta", pelo que a substância em questão será um "repressor do sistema nervoso central".

Até ao momento, a polícia provincial de Buenos Aires prendeu dez pessoas na "Puerta 8", todas elas alegadamente ligadas à venda da droga.

Enquanto as autoridades fazem progressos na identificação da substância e na sua confiscação, o procurador Lapargo apelou às pessoas para não a consumirem se estiverem na posse da mesma.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG