EUA

Novo livro revela deslizes de Trump: "Na verdade, Hitler fez muitas coisas boas"

Novo livro revela deslizes de Trump: "Na verdade, Hitler fez muitas coisas boas"

Um comentário polémico feito por Donald Trump quando ainda era presidente dos Estados Unidos da América foi agora revelado num livro sobre o seu mandato.

Com a saída da Casa Branca, Donald Trump e as polémicas a si associadas deixaram de ser notícia todos os dias. Mas um novo livro sobre o mandato do republicano revela algum conteúdo desconcertante e coloca o ex-presidente norte-americano novamente nas bocas do mundo.

"Frankly, We Did Win This Election", livro escrito pelo jornalista do "Wall Street Journal" Michael Bender e adiantado em primeira mão ao britânico "The Guardian", que já recebeu uma cópia, dá conta de uma observação impactante - entre várias outras - feita por Trump durante uma viagem à Europa, em 2018.

Numa visita oficial do então presidente dos EUA ao continente para assinalar o centenário do fim da Primeira Guerra Mundial, Donald Trump defendeu repetidamente a recuperação económica na Alemanha Nazi nos anos 30 e disse mesmo ao chefe de gabinete da Casa Branca que, "na verdade, Hitler fez muitas coisas boas".

A frase, que deixou John Kelly "chocado", como o próprio admite no livro, foi proferida no contexto de uma sessão de História em que o chefe de gabinete tentava explicar a Trump que países estavam de que lado no conflito, fazendo o paralelo entre a Primeira e a Segunda Guerra e explicando "as atrocidades de Hitler", à frente dos destinos alemães entre 1933 e 1945.

Também entrevistado para este livro, Trump negou a afirmação, mas a posição é contrariada por várias testemunhas anónimas, que dizem que o ex-governante disse mesmo a frase em causa, defendendo-a com a economia na Alemanha nazi, mesmo depois de Kelly "dizer ao presidente que estava errado".

"Kelly reagiu e defendeu que os alemães teriam ficado melhor pobres do que sujeitos ao genocídio nazi", lê-se numa das passagens da obra. Terá dito ainda que, mesmo que haja um fundo de verdade quanto à questão económica, "não se pode dizer nada que apoie Adolf Hitler".

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG