Vaticano

Novo relatório implica Igreja Católica em 100 casos de pedofilia na Polónia

Novo relatório implica Igreja Católica em 100 casos de pedofilia na Polónia

Uma comissão estatal que analisou as denúncias de crimes de pedofilia registadas na Polónia entre 2017 e 2020 denunciou esta terça-feira que quase um terço dos casos estudados, num total superior a 300 processos, envolvem membros da Igreja Católica.

"A comissão estatal (responsável por matérias relacionadas com crimes de pedofilia) está a tratar de 100 casos nos quais membros do clero são denunciados como autores de agressões sexuais a crianças com menos de 15 anos", declarou a entidade, na apresentação pública do seu relatório de atividade que integra a análise de um total de 345 casos.

No mesmo relatório, esta comissão, criada em 2019, concluiu que em 35% dos casos analisados os perpetradores dos crimes são familiares das vítimas.

A comissão aproveitou igualmente para propor no relatório um conjunto de recomendações legislativas com o objetivo de agilizar os procedimentos judiciais e de reforçar a proteção das vítimas deste tipo de crime.

A entidade divulgou também ter solicitado documentação à Igreja Católica sobre as denúncias efetuadas nesta matéria, mas, segundo indicou, os pedidos ainda não obtiveram uma resposta concreta.

"Até agora, recebemos repetidas garantias da vontade de cooperar (por parte da Igreja), e estamos muito satisfeitos com isso, mas ainda não vimos essa garantia tornar-se uma realidade", afirmou, em declarações à comunicação social, o presidente da comissão, Blazej Kmieciak.

Em final de junho, a Igreja Católica polaca revelou, num relatório próprio, que tinha recebido desde 2018 várias centenas de novas denúncias de agressões sexuais a menores e que implicavam membros do clero.

PUB

Estes dois relatórios surgem num momento em que a Igreja Católica, muito influente a nível político na Polónia, está a ser confrontada por várias acusações de pedofilia e de encobrimento de casos, um assunto que tem sido cada vez mais mediatizado, mas que durante muito tempo foi considerado tabu neste país fortemente católico.

Segundo o relatório da Igreja Católica polaca, um total de 368 casos de agressão sexual, cometidos entre 1958 e o ano passado, foram comunicados diretamente à instituição entre julho de 2018 e o final de 2020.

De acordo com a mesma fonte, 39% das denúncias foram consideradas como credíveis e fundamentadas, enquanto cerca de 10% foram rejeitadas, principalmente por falta de credibilidade.

Cerca de 51% das denúncias estão em processo de investigação, referiu ainda o relatório da Igreja Católica polaca.

Desde o ano passado, o Vaticano sancionou oito bispos polacos por terem encoberto atos de pedofilia cometidos por membros do clero.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG