Direitos Humanos

Número mais alto em cinco anos. Mais de 500 pessoas executadas no Irão

Número mais alto em cinco anos. Mais de 500 pessoas executadas no Irão

Pelo menos 504 pessoas foram executadas este ano no Irão, de acordo com a organização não-governamental Iran Human Rights (IHR), com sede na Noruega. Em comparação com o período homólogo, foram mais 171 os condenados à morte e o ano ainda nem terminou.

Pelo menos seis pessoas foram já condenadas à morte pela participação nos protestos que se registam no país desde o dia 16 de setembro, após a morte da jovem Mahsa Amini por não usar corretamente o véu islâmico. Os seis manifestantes foram acusados de "guerra contra deus" assim como de terem "corrompido a terra", conceitos que se englobam nos delitos contra o Islão e a segurança pública do Irão.

O número de execuções cresce à medida que aumenta a preocupação com o facto de as autoridades iranianas recorrerem à pena de morte para reprimir a revolta popular. Pelo menos 21 pessoas podem ainda vir a ser condenadas à morte pela participação nos motins.

PUB

As autoridades judiciais acusaram ainda mais de duas mil pessoas de diversos crimes pela participação nos protestos contra a manutenção da República Islâmica.

"Estes indivíduos foram condenados à morte sem o devido processo ou julgamento justo no Tribunal Revolucionário", disse o diretor da IHR, Mahmood Amiry-Moghaddam, numa declaração à agência France-Presse. "As sentenças não tinham validade legal".

"Estas execuções destinam-se a criar o medo da sociedade e a desviar a atenção pública das falhas da República Islâmica", acrescentou. No final de novembro, a Amnistia Internacional alertou também para os julgamentos "simulados" que servem para "intimidar" os participantes dos motins populares que abalam o Irão desde setembro e "impedir que outros se juntem ao movimento".

Os grupos de direitos humanos mostram-se ainda alarmados com o número de mulheres executadas pelo regime de Teerão, normalmente acusadas de assassinar os companheiros ou familiares devido a relações abusivas.

De acordo com os dados da IHR, ONG sediada na Noruega, pelo menos 504 pessoas foram executadas até agora no Irão, mais 66% do que em 2021, quando 333 pessoas foram condenadas à morte. No entanto, a Amnistia Internacional conseguiu confirmar apenas 314 execuções.

Desde 2017 que o número de execuções no país não era tão elevado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG