EUA

O caso de amor e misoginia que levou à suspensão de um assessor de Biden

O caso de amor e misoginia que levou à suspensão de um assessor de Biden

A administração de Joe Biden esteve nos últimos dias debaixo de fogo depois de se saber que TJ Ducklo, vice-secretário de Imprensa da Casa Branca, insultou uma repórter do site "Politico". Tara Palmeri estava a escrever um artigo sobre o relacionamento do assessor com outra jornalista. Ducklo não gostou da "invasão": telefonou a Palmeri e disse que a ia "destruir". O caso levou à suspensão do assessor por uma semana, sem direito a salário.

Podia ser uma bonita história de amor, mas acabou num rol de críticas à administração de Joe Biden e à capacidade de o presidente norte-americano em cumprir promessas. Mas vamos ao início. TJ Ducklo, 32 anos, foi, durante 2019 e 2020, secretário de imprensa de Biden, na altura, candidato à presidência dos Estados Unidos. Alexi McCammond, de 27 anos, colaboradora da cadeia de televisão NBC/MSNBC e do site "Axios", estava a acompanhar a corrida do democrata à Casa Branca.

Depois de muito tempo a frequentar os mesmos locais, os dois passam de colegas de trabalho (numa relação profissional entre assessor e jornalista) a amigos e em novembro do ano passado começaram a namorar. A relação foi oficializada para o público a 8 de fevereiro deste ano, através da publicação de um artigo na revista "People". "Estamos ambos muito felizes e queríamos fazer isto da maneira certa", disse TJ Ducklo. Durante o ano de 2019, o casal, ainda como amigos, aproximou-se mais quando foi diagnosticado cancro do pulmão ao assessor.

O relacionamento implicou mudanças na vida de cada um, especialmente na área profissional. Ducklo faz parte da equipa de assessoria do presidente dos EUA, enquanto McCammond acompanhava como repórter todos os passos de Joe Biden. O respeito pela ética e a deontologia levaram a repórter a pedir em novembro aos chefes do site "Axios" para ser transferida para outra função. Neste momento, Alexi McCammond escreve sobre os progressistas no Congresso dos EUA e sobre a vice-presidente Kamala Harris.

Porém, um problema que parecia resolvido em 2020, azedou em 2021. Uma jornalista do site especializado em política norte-americana "Politico" estava a escrever sobre a relação do assessor e da repórter, na altura da tomada de posse de Joe Biden. De acordo com a revista "Vanity Fair", Tara Palmeri do "Politico" tinha contactado Alexi McCammond para comentar o romance. Outro colega de Palmeri mandou uma mensagem a TJ Ducklo sobre o mesmo assunto.

Não é claro o que foi perguntado aos dois, mas a reação do assessor de Biden não foi a melhor. Ducklo, que contactou um dos editores do "Politico" para se queixar da história, terá feito vários comentários depreciativos sobre Tara Palmeri em reuniões entre funcionários da Casa Branca e outros jornalistas. A resposta que recebeu do editor do "Politico" era a de que devia contactar os repórteres que estavam a escrever o artigo.

PUB

Ora, em vez de contactar o jornalista, colega de Tara Palmeri, que inicialmente lhe enviou uma mensagem, TJ Ducklo fez um telefonema em "off the record" a insultar a repórter do "Politico". "Vou destruir-te", disse o assessor a Palmeri. E acrescentou que lhe ia arruinar a reputação se ela publicasse a história.

Os comentários foram mais longe, segundo a "Vanity Fair". O assessor da Casa Branca acusou Palmeri de ter "inveja" e "ciúmes", porque um homem (que a revista norte-americana não identifica) não se terá envolvido sexualmente com ela no passado, mas sim com Alexi McCammond, a atual namorada de Ducklo.

Os media norte-americanos escrevem que a jornalista do "Politico" foi designada para escrever o artigo pelos seus editores e não porque tinha um interesse particular no assunto. O telefonema, apesar de "off the record", foi revelado aos responsáveis do "Politico", que reuniram com o "staff" da comunicação da Casa Branca.

Apesar de não ter inicialmente gostado que Tara Palmeri tivesse dito o que foi conversado num telefonema não oficial, a assessoria de Biden admitiu que o colega não esteve bem. Jen Psaki, secretária de imprensa da Casa Branca, anunciou, esta sexta-feira, que Ducklo foi suspenso por uma semana, sem direito a salário por esse período, e já pediu desculpa à jornalista do "Politico". No futuro, o assessor não vai trabalhar mais com repórteres deste site de política.

Alguns analistas colocaram já na berlinda o próprio Joe Biden. Numa das primeiras intervenções como presidente dos EUA, o democrata afirmou: "Se estiver a trabalhar comigo e eu souber que desrespeitou outra pessoa e a tratou mal, vou despedi-lo logo". Os media norte-americanos criticaram a demora na suspensão de TJ Ducklo e questionaram se o ideal do presidente seria aplicado quando o ofendido é um jornalista.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG