Ciência

Os gatos têm expressões faciais. A culpa é nossa que não os percebemos

Os gatos têm expressões faciais. A culpa é nossa que não os percebemos

Um estudo levado a cabo por investigadores de uma universidade do Canadá revela que a maioria dos humanos é incapaz de compreender as expressões faciais dos gatos.

A investigação, da autoria de especialistas da Universidade de Guelph, em Ontário, no Canadá, contou com seis mil participantes, de 85 países, sendo que a maioria deles possui um gato. Segundo explica o jornal "The Washington Post", os participantes foram desafiados a ver vídeos de gatos e tentar adivinhar como é que o animal se sentia.

A maioria dos participantes conseguiu menos do que 60% de respostas corretas. Ainda assim, 13% dos participantes responderam de forma assertiva a 75% das perguntas.

"Os gatos estão a dizer-nos várias coisas com a cara e, se formos inteligentes, conseguimos perceber", disse Georgia Mason, uma das autoras deste estudo, bióloga na Universidade de Guelph. "Algumas pessoas conseguem-no. Isto prova que os gatos são difíceis de perceber, mas não impossíveis", explicou.

E, na competição entre homens e mulheres, foram as mulheres que conseguiram um melhor resultado, sendo que a população mais jovem da amostra obteve melhores resultados do que os mais velhos. Um dado curioso está relacionado com o facto de serem os veterinários aqueles que melhores resultados obtiveram. "Eles têm muitas oportunidades para aprender e uma grande motivação para o fazer, porque estão constantemente a tomar decisões", justifica a especialista.

A pesquisa não exigiu que os envolvidos respondessem se os gatos estavam felizes, deprimidos ou desesperados. Através de close-ups de rostos de gatos, a maioria em vídeos do YouTube, os elementos que integraram a amostra tinham de decidir se os animais demonstravam expressões "negativas" ou "positivas".