China

Um ano depois, o que mudou na vida do menino do cabelo "congelado"?

Um ano depois, o que mudou na vida do menino do cabelo "congelado"?

Lembra-se do menino chinês que chegou à escola com o cabelo "congelado" por causa da longa distância que percorria a pé? Há um ano, a história de Wang Fuman despertou a atenção internacional e gerou revolta nas redes sociais. Os pais decidiram mudar de casa. Agora, "a vida é muito melhor".

Wang Fuman ficou conhecido depois de a professora partilhar nas redes sociais uma fotografia sua com o cabelo cheio de neve e as mãos inchadas do frio. Na altura, o menino de oito anos caminhava todos dias durante uma hora e meia até à escola primária de Zhuanshanbao, situada no sul da província de Yunnan, na China, sob temperaturas de até nove graus negativos.

Em janeiro de 2018, o menino passou a ser conhecido na imprensa internacional como "Ice Boy" (rapaz de gelo). Um ano depois, o jornal chinês "People's Daily" decidiu descobrir o que era feito de Wang Fuman.

E nos últimos meses muito mudou. Wang e a família deixaram a casa em que viviam em condições de pobreza extrema, com um telhado de palha e paredes de tijolos e lama. Agora vivem numa casa de dois andares a apenas 10 minutos da escola.

"A vida é muito melhor", afirmou o pai do menino, Wang Gangkui, àquele jornal. "Comparando com as paredes de barro e a estrada lamacenta, estamos muito melhor protegidos do vento e da chuva", acrescentou.

A escola de Wang também beneficiou de um maior investimento. Foi instalado aquecimento nas salas de aula e foi construído um dormitório para abrigar as crianças que moram longe da escola.

"[Wang] é um excelente aluno e dá-se bem com os colegas", disse o vice-presidente da escola, Fu Heng. "Toda a atenção que despertou [a situação] fez com que os alunos sentissem a maravilha que é o mundo e as suas ideias mudaram muito. As sementes dos sonhos de que um dia se podem afastar das montanhas foram plantadas e eles estão muito esperançosos do futuro", afirmou Fu Heng.

Wang mantém o mesmo sonho de um dia se tornar polícia, para poder "apanhar os maus".

Mais de três mil utilizadores do Weibo - uma rede social conhecida como o Twitter chinês - usaram a "hashtag" #IceBoyAYearOn para falar da história de Wang. Entre muitas opiniões e mensagens de apoio, a ideia mais partilhada é de que o menino "congelado" teve um "final feliz".