Barack Obama

Obama avisa que "não vai ficar parado" por decisão do Congresso

Obama avisa que "não vai ficar parado" por decisão do Congresso

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, vai advertir que "não vai ficar parado" e que contornará o Congresso caso a batalha contra a desigualdade saia frustrada, no discurso do Estado da União.

Obama vai ainda anunciar no Congresso a decisão de aumentar o salário mínimo de alguns funcionários públicos, no discurso do Estado da União, a partir das 02.00 horas desta quarta-feira em Portugal continental.

"O que eu ofereço esta noite é um conjunto de propostas concretas para acelerar o crescimento, fortalecer a classe média e construir novas escadas de oportunidade para a classe média", dirá o presidente dos Estados Unidos, de acordo com alguns trechos do seu discurso antecipados pela Casa Branca.

"Alguns exigem ação do Congresso e eu estou ansioso por trabalhar com todos vocês. (...) Mas os Estados Unidos não vão ficar parados - e eu também não", advertirá no discurso do Estado da União.

Obama alerta que sempre que possa dar passos, sem legislação, para expandir oportunidades para mais famílias americanas, assim o fará.

O presidente dos Estados Unidos propõe aumentar o salário mínimo de 7,25 dólares (5,30 euros) para 10,10 dólares (7,39 euros) por hora.

A nova medida irá abranger, inicialmente, os salários dos funcionários recém-contratados para prestação de serviços, seguindo-se depois as negociações com o Congresso para alcançar um acordo que inclua todos os funcionários da administração federal norte-americana.

A subida do salário mínimo é uma das metas pendentes do percurso presidencial de Obama e era um dos seus objetivos para 2013, segundo referiu durante o discurso do Estado da União do ano passado.

É aguardado que no discurso deste ano, proferido no Capitólio (edifício onde funciona o Congresso norte-americano), Obama insista no objetivo de aprovar uma reforma migratória integral, travada pela Câmara dos Representantes (câmara baixa do Congresso), e apresente vários pacotes de medidas que reduzam a desigualdade e a pobreza.

O discurso anual sobre o Estado da União é um ritual da democracia norte-americana e representa um dos pontos altos do ano político nos Estados Unidos.

O discurso é proferido diante de políticos, dos juízes do Supremo Tribunal e dos embaixadores destacados em Washington, além de outros dignitários.