O Jogo ao Vivo

EUA

Obama coloca primeira pedra de centro presidencial em Chicago

Obama coloca primeira pedra de centro presidencial em Chicago

O antigo presidente dos Estados Unidos da América (EUA) Barack Obama lançou a primeira pedra do futuro centro presidencial em Chicago, um projeto ultramoderno que vai permitir a formação da "nova geração de líderes norte-americanos".

"Queremos que este centro seja mais do que um museu ou um local de investigação, não apenas uma coleção de lembranças ou vestidos de gala de Michele [Obama], embora todos venham vê-los", disse.

O espaço deve reunir, segundo Barack Obama, futuros "líderes da sociedade cível de todas as áreas, de todas as disciplinas e de todo o espetro político, aqueles que pretendam fortalecer os ideais democráticos e cultivar a cidadania de uma forma concreta".

Três edifícios vão ser erguidos no Jackson Park, junto ao Lago Michigan, no bairro social no sul de Chicago onde o ex-presidente norte-americano iniciou a sua carreira com ativista e onde a ex-primeira-dama, Michelle Obama, cresceu.

Este campus deve trazer "a próxima geração de líderes, não apenas do governo e do serviço público, mas aqueles que querem mudar as coisas através da arte, do jornalismo ou dos criadores de negócios inclusivos ou socialmente responsáveis", acrescentou.

O centro presidencial vai reunir um museu em forma de torre hexagonal, uma biblioteca pública e fórum com salas de aula, laboratórios, espaços ao ar livre e reuniões, além de escritórios da Fundação Obama, de acordo com os modelos apresentados em 2017.

O edificado vai ter também um campo de basquetebol, desporto que Barack Obama pratica com regularidade, uma área recreativa para crianças e uma zona para churrascos ou trenós, no inverno.

PUB

O museu vai exibir a carreira política do 44.º presidente dos EUA, desde a sua chegada a Chicago em 1985 até ao duplo mandato presidencial, de 2009 a 2017.

Construir uma biblioteca já é uma tradição para antigos presidentes norte-americanos, mas o centro presidencial de Obama, o primeiro afro-americano eleito para a Casa Branca, quer concentrar-se na reflexão e na ação, integrando o sul de Chicago na vida socioeconómica.

As obras começaram em agosto. Não há data para o fim da obra e consequente inauguração.

Ação judicial contra a construção

Em 20 de fevereiro de 2019, um juiz federal norte-americano deu "luz verde" à ação judicial movida por ambientalistas contra a construção do centro.

O juiz John Blakey determinou que o grupo "Protect Our Parks" tinha razões legais para questionar a instalação do centro presidencial Obama, avaliado em 450 milhões de euros, no parque Jackson.

Para os ambientalistas, o presidente da câmara de Chicago, Rahm Emanuel, ex-chefe de gabinete de Obama e principal impulsionador da construção do centro, não tem autoridade para ceder o uso de terras públicas para projetos privados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG