Mundo

Obama exigiu a Mubarak fim da repressão dos manifestantes

Obama exigiu a Mubarak fim da repressão dos manifestantes

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou hoje que disse ao seu homólogo egípcio, Hosni Mubarak, que tem a responsabilidade de cumprir a promessa de melhor democracia e maiores oportunidades económicas.

Obama falou com Mubarak ao telefone, pouco depois de este ter discursado na televisão, no que foi o seu primeiro aparecimento desde os protestos nas ruas do Egipto, que visam o fim do seu regime autoritário, velho de três décadas.

Na televisão, Mubarak defendeu a acção fortemente repressiva das suas forças de segurança e não se voluntariou para resignar, anunciando, pelo contrário, a demissão do governo.

PUB

Obama esclareceu que não pediu a Mubarak que se demitisse, mas que lhe enfatizou a necessidade de fazer reformas: "Este momento de volatilidade tem de ser convertido num momento de promessa."

Insistiu em que fossem tomadas medidas "concretas" em favor de reformas políticas, bem como que não fosse usada a violência contra os manifestantes.

"Quero apelar às autoridades egípcias que se abstenham de utilizar a violência contra os manifestantes pacíficos", declarou Obama, pouco depois de ter falado com Mubarak, durante 30 minutos.

"O povo egípcio tem direitos que são universais, isso inclui o direito de se reunir pacificamente, o direito à liberdade de expressão e a possibilidade de escolher o seu próprio destino, isso decorre dos direitos humanos", disse Obama.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG