Covid-19

Ómicron pressiona hospitais no Reino Unido

Ómicron pressiona hospitais no Reino Unido

Os casos de covid-19 crescem e põe em causa serviços públicos em Londres, onde a nova variante já é dominante.

Os casos diários de covid-19 continuam a crescer no Reino Unido: foram mais de 90 mil infeções pelo segundo dia consecutivo e mais 125 mortes em 24 horas, de acordo com dados do governo britânico.

A evolução pandémica já levou o autarca de Londres a coordenar uma resposta integrada entre os diferentes serviços públicos, para ajudar os hospitais da cidade.

"Estou extremamente preocupado pelas ausências de pessoal na saúde pública, nas corporações de bombeiros, nos serviços de polícia, nas nossas autoridades locais", acrescentou Sadiq Khan à "BBC". Estima-se que a variante ómicron seja já responsável por 80% dos novos casos em Londres, avança a "Reuters".

Em todo o território britânico, mais de 10 mil casos (10 059) estão associados à nova variante: 85 pessoas estão internadas. Já as mortes associadas à ómicron subiram para sete.

Vacina em estádios

Com menos profissionais de saúde a trabalhar, por também eles estarem infetados, os hospitais de Londres estão numa "situação perigosa", disse Katherine Henderson, consultora do Hospital Guy's and St Thomas, ao site da "BBC".

PUB

Durante o dia deste sábado, quase três mil espaços em Londres foram ocupados por centros de vacinação. É o caso dos relvados de estádios de futebol, como Anfield, Stamford Bridge e Wembley. Vários jogos da Premier League foram adiados este fim de semana devido a surtos nas equipas.

O governo de Boris Johnson esteve este sábado a ser atualizado sobre os últimos dados da pandemia. A "Sky News" adianta que poderão estar em cima da mesa restrições mais duras após o Natal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG