Covid-19

OMS sem dados para recomendar mudança de vacina entre doses

OMS sem dados para recomendar mudança de vacina entre doses

A Organização Mundial de Saúde diz não poder fazer uma recomendação sobre a mudança do tipo de vacina anti-covid-19 entre doses, como a França pretende fazer para menores de 55 anos que receberam a primeira dose da AstraZeneca.

"Não há dados adequados para dizer que isso deva ser feito" e, portanto, os especialistas da organização concluíram "que não podem recomendar, neste momento, a troca da vacina", disse a porta-voz da Organização Mundial de Saúde (OMS), Margaret Harris, durante a conferência de imprensa regular da ONU em Genebra.

Segundo lembrou, esta foi a posição adotada pelo Grupo Consultivo Estratégico de Especialistas (SAGE) sobre vacinação em fevereiro, quando publicou as suas recomendações sobre a vacina anti-covid-19 da AstraZeneca antes das informações sobre uma possível ligação entre este fármaco e o aparecimento de efeitos secundários muito raros.

Margaret Harris sublinhou ainda que esses cientistas pediram, na altura, investigações específicas sobre a troca de vacinas anti-covid entre a primeira e a segunda dose.

O regulador francês da saúde anunciou esta sexta-feira que os menores de 55 anos a quem foi administrada uma primeira dose de vacina contra a covid-19 da AstraZeneca receberão outra vacina, da Pfizer ou da Moderna, na segunda dose.

PUB

A situação afeta 533 mil pessoas em França, de acordo com o regulador, que suspendeu o uso da vacina da AstraZeneca para menores de 55 anos em 19 de março, devido a raros casos de trombose (coágulos de sangue) detetados na Europa.

"Recomendamos agora a essas pessoas a aplicação de uma vacina de RNA mensageiro" na segunda dose com intervalo de 12 semanas entre as duas, indicou o presidente da entidade francesa, Dominique Le Guludec, numa videoconferência hoje realizada.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG