Incêndios

Ondas de calor afetam várias zonas da Europa ocidental

Ondas de calor afetam várias zonas da Europa ocidental

Várias zonas da Europa ocidental estão a ser afetadas por uma onda de calor, que tem estado a causar incêndios florestais em Portugal, França e Espanha.

Para esta semana, esperam-se recordes de temperaturas em Inglaterra, França e Espanha e de acordo com a agência de notícias France Press esta é a segunda onda de calor registada num mês na Europa.

Em Portugal, no domingo e pela primeira vez desde 8 de julho, as temperaturas não ultrapassaram os 40 graus Celsius, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), depois de terem atingido um recorde histórico para o mês de julho de 47 graus.

PUB

No entanto, quase todo o território português apresentou perigo máximo de incêndio rural, muito elevado ou elevado no domingo, em particular as regiões norte e centro.

Em França, o "calor está a ganhar força e a alastrar-se pelo país", alerta o instituto Météo-France, que espera ver muitos recordes de temperatura quebrados, sobretudo a oeste e sudoeste do país.

Também no Reino Unido, a agência meteorológica nacional emitiu o primeiro alerta vermelho para calor extremo, significando um "risco de vida". Os termómetros podem chegar aos 40.°C no sul da Inglaterra pela primeira vez esta segunda-feira ou terça-feira, alertou o Met Office.

A onda de calor está também a afetar Espanha, onde já se registaram mortes devido ao tempo quente. No domingo, os termómetros atingiram os 39.°C em Madrid, 39,7.°C em Sevilha (sul) e até 43,4.°C em Don Benito, perto de Badajoz (oeste).

A onda de calor tem estado a causar incêndios florestais, que já mataram vários elementos dos serviços de bombeiros e resgate. Em Espanha, cerca de 20 incêndios florestais ainda estão ativos e permanecem por dominar em diferentes partes do país, do sul ao extremo noroeste da Galiza.

Um bombeiro morreu na sequência de um incêndio em Losacio, província de Zamora, noroeste da Espanha, no domingo, segundo as autoridades locais.

Em França, Portugal, Espanha e Grécia, milhares de hectares de florestas arderam e muitos habitantes e turistas tiveram que fugir das suas casas. Segundo os meteorologistas, o aumento deste fenómeno é consequência direta do aquecimento global, com as emissões de gases de efeito de estufa aumentando de intensidade, duração e frequência.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG