Líbia

ONU pede "libertação imediata" de jornalista condenado a 15 anos de prisão

ONU pede "libertação imediata" de jornalista condenado a 15 anos de prisão

A Missão de Apoio das Nações Unidas na Líbia (UNSMIL, na sigla inglesa) apelou, este domingo, à "libertação imediata" do jornalista Ismail Abuzreiba, condenado a 15 anos de prisão por ter contactado com canais e agências proibidos no leste do país.

"A UNSMIL está preocupada com o facto de a detenção e o julgamento parecerem violar as leis da Líbia, bem como as suas obrigações internacionais em relação ao direito a um julgamento justo e ao direito à liberdade de opinião e expressão. Pedimos a libertação imediata de Ismail Abuzreiba", escreveu a missão na rede social Twitter.

Através do mesmo espaço digital, o embaixador da União Europeia na Líbia, Alan Bugeja, revelou estar "extremamente preocupado" com o julgamento de Ismail Abuzreiba, que já esteve detido dois anos, solicitando às autoridades que o libertem imediatamente e "garantam o respeito dos seus direitos fundamentais e a liberdade de expressão".

A sentença foi decretada por um tribunal militar em Bengazi, sob alçada do marechal Khalifa Hafter, que tentou durante mais de 14 meses de luta armada tomar o controlo da capital da Líbia, Tripoli, onde está sediado o Governo de Acordo Nacional, reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU).

A guerra civil matou centenas de pessoas, incluindo muitos civis, e tornou os jornalistas vulneráveis a situações de assédio, detenção arbitrária ou ameaças, forçando a maioria a abandonar um país que está classificado no 164.º lugar do Índice de Liberdade de Imprensa, publicado todos os anos pela organização Repórteres Sem Fronteiras.

Outras Notícias