China

Dois dissidentes chineses condenados por subversão

Dois dissidentes chineses condenados por subversão

A justiça chinesa condenou o ativista e advogado Xie Yang a uma pena de prisão suspensa por subversão contra o Estado, o segundo elemento do reconhecido grupo de dissidentes "709" a ser condenado nas últimas 24 horas.

As autoridades judiciais chinesas já tinham condenado esta terça-feira outro reconhecido ativista deste grupo. Wu Gan, conhecido na Internet pelo nome "Super Carniceiro Vulgar", foi declarado culpado de subversão contra o Estado e condenado a oito anos de prisão.

A sentença de Wu Gan é a sentença mais pesada imposta a um ativista dos direitos humanos desde a recondução do presidente da China, Xi Jinping, em outubro passado.

Em relação ao caso de Xie Yang, o tribunal de Changsha (centro) decidiu aplicar uma pena suspensa porque o dissidente manifestou arrependimento e porque os crimes cometidos "não causaram danos sérios" à sociedade.

Xie Yang, que esteve incomunicável durante seis meses, chegou a denunciar, através dos seus advogados, que tinha sido alvo de tortura por parte da polícia chinesa.

Estas denúncias provocaram a reprovação de vários países ocidentais no início deste ano.

Esta terça-feira, diante do tribunal, Xie Yang pediu desculpas por ter induzido em erro a opinião pública "sobre esta questão da tortura".

No início deste ano, a mulher de Xie Yang fugiu da China com as duas filhas do casal para os Estados Unidos.