EUA

Pais de criança que morreu durante desafio perigoso processam TikTok

Pais de criança que morreu durante desafio perigoso processam TikTok

Uma família americana está a processar o TikTok depois da filha de 10 anos se ter sufocado até à morte por causa do "desafio do apagão". O desafio já fez quatro mortes no passado.

O "desafio do apagão" consiste em fazer com que as pessoas se sufoquem até desmaiarem e está relacionado com, pelo menos, mais quatro mortes de crianças.

Nylah Anderson, uma criança considerada inteligente e que falava três línguas, foi encontrada inconsciente no quarto, nos subúrbios da cidade de Filadélfia, nos EUA, no dia 7 de dezembro de 2021. A menina passou cinco dias numa Unidade de Cuidados Intensivos pediátricos antes de morrer.

PUB

A família da menor acusou a rede social de comercializar um produto "com defeito e negligente", afirmando ainda que o desafio "foi colocado à frente" de Nylan, através feed da plataforma. "O algoritmo determinou que o desafio era adequado e que provavelmente interessaria à menina de 10 anos e ela morreu por causa disso", pode ler-se na queixa apresentada pela família.

A rede social não respondeu imediatamente ao processo, mas disse, numa declaração anterior e como resposta à morte de Anderson, que "o desafio perturbador é mais antigo que a própria plataforma".

"Não consigo parar de relembrar esse dia na minha cabeça", confessou a mãe da menina, numa conferência de imprensa. "Está na hora destes desafios perigosos chegarem ao fim, para que outras famílias não passem pelo desgosto que estamos a viver todos os dias", acrescentou.

De acordo com o advogado de Anderson, uma análise forense ao telemóvel de Nylah mostrou que a aplicação estava aberta no momento em que a menina foi encontrada inconsciente. "Nylah suportou um sofrimento infernal enquanto lutava e lutava para respirar e lentamente asfixiava até perto do ponto da morte", pode ler-se o processo.

A crescente popularidade das redes sociais e os algoritmos agressivos levam os utilizadores mais jovens a realizar acrobacias perigosas, como escalar pirâmides de caixas de leite empilhadas ou ate lamber sanitas, para testar a imunidade à covid-19.

O TikTok, de propriedade chinesa, foi a aplicação de redes sociais com maior número de downloads do mundo, no ano passado, de acordo com a Apptopia. Com apenas seis anos, a aplicação está a crescer mais rápido que o YouTube.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG