Mundo

Países nórdicos fizeram minuto de silêncio pelas vítimas de Breivik

Países nórdicos fizeram minuto de silêncio pelas vítimas de Breivik

Milhares de cidadãos da Noruega, Suécia, Finlândia, Dinamarca e Islândia observaram um minuto de silêncio, esta segunda-feira, em homenagem às 93 pessoas mortas no duplo ataque de sexta-feira.

Na Noruega, a família real, o chefe do governo e milhares de cidadãos anónimos observaram um minuto de silêncio às 12.00 horas locais (11.00 horas em Portugal continental).

A Bolsa de Oslo, os aeroportos e os transportes ferroviários também suspenderam a sua actividade durante um minuto.

Alinhados em frente do edifício da Universidade de Oslo, vestindo luto, o rei Harald e a rainha Sonja, e cerca de mil cidadãos ouviram o primeiro-ministro, Jens Stoltenberg: "Em homenagem às vítimas mortas na sede do governo e na ilha de Utoya declaro um minuto de silêncio".

As buscas na ilha, onde 86 pessoas foram mortas a tiro segundo o mais recente balanço, foram suspensas durante um minuto, com todos os que participam nos trabalhos alinhados junto à margem, segundo as imagens transmitidas pela televisão norueguesa NRK.

O minuto de silêncio foi concluído com um simples "takk" (obrigado), dito pelo primeiro-ministro.

A Comissão Europeia e o Conselho da Europa juntaram-se também à homenagem aos mortos de Oslo.

Depois de assinarem um livro de condolências colocado no auditório da universidade, os reis e o chefe do governo abandonaram a praça Karl Johans Gata, em frente da universidade, sob o aplauso de muitas das cerca de mil pessoas que ali se juntaram.

O minuto de silêncio, observado também nos outros países nórdicos, realizou-se uma hora antes da prevista comparência em tribunal do suspeito do duplo atentado, Anders Behring Breivik.

O primeiro-ministro finlandês, Jyrki Katainen, justificou em comunicado o pedido para a solidariedade com a Noruega referindo que se deve "defender os valores de uma sociedade aberta e da democracia mesmo quando eles são atacados".

Também em comunicado, o primeiro-ministro dinamarquês, Lars Loekke Rasmussen, declarou que os atentados de sexta-feira são um ataque aos valores segundo os quais foram construídas nações como a Dinamarca e a Noruega. "São um ataque contra nós todos", disse.

O Governo da Suécia pediu também à sua população que manifestasse uma "profunda simpatia" com a Noruega, observando o minuto de silêncio.

Os governos dos países nórdicos decidiram também colocar as bandeiras nacionais a meia haste, em homenagem às vítimas dos atentados na Noruega.

A polícia deteve o autor confesso dos atentados, o norueguês Anders Behring Breivik, 32 anos, que será presente a um tribunal de Oslo.