Pandemia

Países ricos acumulam mais vacinas do que aquelas que vão precisar

Países ricos acumulam mais vacinas do que aquelas que vão precisar

Os países mais ricos conseguiram assegurar três mil milhões de vacinas, o suficiente para toda a população com duas doses e ainda sobrarem milhões. "As doses em excesso são suficientes para vacinar a totalidade da população adulta de África", lê-se na análise dos atuais acordos de fornecimento de vacinas contra covid-19 da ONE Campaign, uma organização não-governamental.

Os países ricos vão ter mais de mil milhões de doses de vacinas contra a covid-19 do que aquelas que vão precisar para a sua população. A ONE Campaign afirma que países como os Estados Unidos e o Reino Unido deveriam partilhar as doses que compraram a mais para apoiar uma resposta global à pandemia.

"Os líderes das nações ricas não estão a fazer nenhum favor aos seus próprios cidadãos nem ao resto do mundo se acumularem vacinas. Se o vírus puder prosperar em qualquer parte do mundo, o risco de novas variantes aumenta, e é apenas uma questão de tempo até que surjam estirpes que minem as vacinas e ferramentas que foram desenvolvidas para combater a covid-19", afirma Jenny Ottenhoff, directora da One Campaign para políticas públicas.

Emmanuel Macron, presidente francês, já se pronunciou dizendo que "transferir 3% a 5% das vacinas" para a África não afetaria os programas domésticos de inoculação. Macron defendeu que a União Europeia e os Estados Unidos devem enviar parte das suas doses para os países em desenvolvimento.

Sem interversão dos países mais ricos, os países mais pobres poderão ficar sem vacinas até 2024, segundo documentos internos do plano Covax, responsável por garantir que os países de baixo e médio rendimento têm acesso às vacinas. O motivo, segundo a organização, está relacionado com falta de financiamento, riscos relacionados com o fornecimento das vacinas e contratos complexos.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) sugeriu às nações que já compraram vacinas para as doarem ao Covax. O objetivo é assegurar a equidade evitando que as vacinas sejam conduzidas para nações específicas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG