Conflito

Palestiniano morto após atacar soldado israelita na Cisjordânia

Palestiniano morto após atacar soldado israelita na Cisjordânia

Um palestiniano morreu na noite de quarta-feira no norte da Cisjordânia ocupada depois de atacar um soldado israelita com um martelo.

"Durante atividades de rotina perto da cidade de Baytin [a norte de Ramallah], um suspeito atacou um soldado com um martelo, ferindo-o na cara. O soldado reagiu e neutralizou o suspeito", disse o exército, em comunicado.

Um porta-voz militar israelita disse que o palestiniano tinha sido morto, subindo assim para sete os palestinianos mortos em menos de uma semana.

PUB

O Ministério da Saúde palestiniano confirmou um "civil morto a tiro pelo exército de ocupação israelita", sem dar detalhes da sua identidade.

O soldado foi ferido levemente na cabeça, de acordo com os serviços de emergência israelitas.

Na quarta-feira, um palestiniano morreu com ferimentos de bala no peito durante uma incursão do exército israelita numa cidade perto de Nablus, na Cisjordânia ocupada, segundo uma fonte oficial.

"Younis Ghasan Tayeh, de 21 anos, foi morto por um tiro direto no coração disparado pelos soldados da ocupação (israelita) no campo de Al Fara, na região de Tubas", disse hoje o Ministério da Saúde palestiniano, em comunicado.

O exército israelita realiza com frequência este tipo de operação que rotula de "antiterrorista" em diferentes cidades da Cisjordânia ocupada, desencadeando confrontos armados com milicianos.

Na terça-feira, Muhamad Sabaneh, de 29 anos, foi morto e 20 outros ficaram feridos durante um ataque israelita em Jenin e na segunda-feira, Taher Muhammad Zakarneh, de 19 anos, morreu durante um ataque na cidade de Qabatiya.

Outro palestino foi morto a tiro por tropas israelitas em 02 de setembro depois de tentar esfaquear um soldado na área de Hebron e, em 01 de setembro, Yazan Yafana, de 26 anos, e Samer Khaled, de 25, foram mortos durante confrontos na cidade de Al Bireh e no campo de refugiados de Balata, respetivamente.

No início de abril, o exército israelita lançou a Operação "Break the Wave" na Cisjordânia ocupada, em resposta a uma onda de cinco ataques de palestinianos que causaram 18 mortos.

Desde então, nessas operações que se concentram na área de Nablus e Jenin, mais de 90 palestinianos morreram, segundo dados do Ministério da Saúde palestiniano.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG