Cabo Verde

Cabo-verdianos escolhem este domingo novo Presidente da República

Cabo-verdianos escolhem este domingo novo Presidente da República

Mais de 305 mil eleitores escolhem este domingo o sucessor de Pedro Pires na Presidência da República de Cabo Verde, embora todos os dados apontem para uma segunda volta, a realizar dia 21.

Caso contrário, um dos quatro candidatos - Aristides Lima, Jorge Carlos Fonseca, Joaquim Jaime Monteiro e Manuel Inocêncio Sousa - será eleito este domingo como quarto chefe de Estado cabo-verdiano, depois de Aristides Pereira (1975/1991), António Mascarenhas Monteiro (1991/2001) e Pedro Pires (desde 2001).

No total, estão inscritos 305.349 eleitores - 268.379 no território nacional e 36.970 (12,1%) no conjunto dos países que integram a diáspora -, que dispõem de 1140 mesas de voto - 899 nos círculos nacionais e 241 no estrangeiro.

As urnas abriram às 8 horas locais (10 em Lisboa) e encerram 10 horas depois, às 18 horas locais (20 em Lisboa), estando presentes 112 observadores eleitorais da União Africana (UA, 16), Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO, 82), Estados Unidos (11) e Moçambique (três).

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) não enviou observadores eleitorais para uma votação cujos primeiros resultados provisórios oficiais deverão ser conhecidos duas a três horas após o encerramento das urnas.

Uma das grandes preocupações é a abstenção, tradicionalmente elevada em Presidenciais, uma vez que as eleições se disputam num mês em que a época das chuvas já começou, os agricultores estão nos campos e muitos eleitores estão de férias, sobretudo os da diáspora, que escolhem normalmente Agosto para as passar em Cabo Verde.

Desde que o país abriu ao multipartidarismo, em 1990, a abstenção nas eleições presidenciais tem sido alta.

PUB

A abstenção mais baixa, 38,6%, registou-se precisamente nas primeiras presidenciais, a 17 de Fevereiro de 1991, que deram a vitória a António Mascarenhas Monteiro, que seria reeleito na votação de 1996, em que era o único candidato e quando se registou a maior (54,3%).

Nas de 2001, ganhas por Pedro Pires, a abstenção foi de 45,2% e, nas de 2006, em que o chefe de Estado agora cessante foi reeleito, atingiu 41%.

O concelho da Cidade da Praia constitui o maior colégio eleitoral do país (67,958), seguido do de São Vicente (46,241), Santa Catarina de Santiago (com 20,079), Sal (14,185), Santa Cruz de Santiago (12,774), São Filipe do Fogo (12,541), Ribeira Grande de Santo Antão (11,812) e Porto Novo de Santo Antão (10,629).

Os restantes 14 municípios contam com menos de 10 mil eleitores inscritos.

Na diáspora, estão inscritos 36,970 eleitores, com a maior concentração em Portugal (13,221), Estados Unidos (7571), França (4170), Itália (2292), Angola (2003), São Tomé e Príncipe (1241), Espanha (1218), Senegal (1044) e Luxemburgo (935).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG