Guiné-Bissau

Domingos Simões Pereira deverá ser primeiro-ministro na Guiné-Bissau

Domingos Simões Pereira deverá ser primeiro-ministro na Guiné-Bissau

O Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) venceu as eleições legislativas de domingo na Guiné-Bissau e o líder, Domingos Simões Pereira, tem o caminho aberto para ocupar o cargo de primeiro-ministro.

De acordo com os resultados provisórios anunciados ao início da noite de quarta-feira por Augusto Mendes, presidente da Comissão Nacional de Eleições (CNE), o PAIGC conquistou a maioria absoluta, com 55 dos 102 lugares da Assembleia Nacional Popular.

O PAIGC mantém o domínio do parlamento, mas perde lugares em relação às últimas legislativas, de 2008, baixando a representação de 67 para 55 deputados.

Em segundo lugar ficou o Partido da Renovação Social (PRS), que já era o principal partido da oposição, mas que cresce de 28 para 41 deputados.

Domingos Simões Pereira, 50 anos, nasceu em Farim, norte da Guiné-Bissau, foi secretário-executivo da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) entre 2008 e 2012, tem formação em engenharia civil e ciências políticas e já exerceu cargos governamentais.

Foi eleito líder do PAIGC a 9 de fevereiro, no 8.º Congresso do partido, sucedendo a Carlos Gomes Júnior, primeiro-ministro deposto no golpe de Estado de abril de 2012 e de quem recebeu apoio declarado na candidatura à liderança do partido.

Domingos Simões Pereira tornou-se assim, por inerência, no candidato a primeiro-ministro nas eleições legislativas.

A 26 de fevereiro os líderes do PAIGC e PRS encontraram-se e admitiram já na altura encetar uma "colaboração interpartidária" depois das eleições.

"Para nós, a vitória eleitoral não é o mais importante, mas sim criar mecanismos para estabilizar a governação ", observou na altura Alberto Nambeia, presidente do PRS.

O novo líder do PAIGC, Domingos Simões Pereira, por sua vez, considerou esta declaração como "um gesto de grande sentido de Estado".

"Valorizamos isso porque abre-nos uma perspetiva de colaboração interpartidária que eu penso que não só vai ao encontro dos nossos objetivos, mas também contribui para a pacificação do país, um ambiente necessário para a ida às urnas", declarou.

Os resultados provisórios das eleições de domingo foram anunciados por Augusto Mendes, presidente da Comissão Nacional de Eleições (CNE), numa cerimónia num hotel de Bissau sob um forte dispositivo de segurança, com militares armados em todo recinto.

O ato eleitoral decorreu no domingo e estão ainda por apurar os votos da diáspora, correspondentes a 22312 eleitores e que vão eleger mais dois deputados - dados que segundo Augusto Mendes serão divulgados dentro de 48 horas.

Para além do PAIGC e PRS, o PCD - Partido da Convergência Democrática elegeu dois deputados e o PND - Partido da Nova Democracia e a UM - União para a Mudança elegeram um para cada bancada.

ver mais vídeos