Calor em Itália

Papa Francisco enviou 15 mil gelados a reclusos de Roma

Papa Francisco enviou 15 mil gelados a reclusos de Roma

O Papa Francisco enviou 15 mil gelados a reclusos durante aquele que está a ser um dos verões mais quentes registados em Itália.

Os gelados foram entregues nas duas prisões de Roma - Regina Coeli, no centro da cidade, e Rebibbia, nos arredores, - pelo Esmoleiro do Vaticano, Cardeal Konrad Krajewski.

Em comunicado, citado pelo "The Guardian", o Vaticano disse que o gabinete de caridade do papa "não foi de férias" este verão. Em vez disso, os voluntários do Vaticano continuaram a "dedicar-se, entre outras coisas, a duas das sete obras de misericórdia: visitar prisioneiros e consolar os aflitos".

A doação foi um dos vários "pequenos gestos evangélicos" feitos durante o verão "para ajudar e dar esperança a milhares de pessoas nas prisões de Roma", acrescenta o comunicado.

Em junho, cerca de 20 reclusos da prisão de Rebibbia estiveram com o cardeal e fizeram uma visita aos Museus do Vaticano. Pequenos grupos de sem-abrigo também foram levados a ver "o mar ou o lago para uma tarde de relaxamento e jantar numa pizzaria".

Este verão foi um dos mais quentes já registados na Itália. A cidade italiana de Syracuse, na Sicília, registou 48,8ºC em agosto, potencialmente a temperatura mais alta já registada na Europa. Fortes incêndios florestais também varreram as regiões do sul de Itália e a ilha da Sardenha.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG