Reino Unido

Parlamento britânico vai escolher entre sair sem acordo ou adiar Brexit

Parlamento britânico vai escolher entre sair sem acordo ou adiar Brexit

O parlamento britânico poderá escolher entre sair da União Europeia (UE) ou pedir um adiamento do "Brexit" se o acordo que o governo apresentar nas próximas semanas for rejeitado, prometeu, esta terça-feira, a primeira-ministra britânica.

Theresa May prometeu que o chamado "voto significativo" será repetido até 12 de março. Se o texto submetido for chumbado, os deputados poderão decidir se o calendário de saída do Reino Unido da UE se mantém, ou é pedida uma "extensão curta e limitada" para além de 29 de março.

A intervenção de May no parlamento destina-se a atualizar os deputados sobre o andamento das negociações com os líderes europeus e apresentar uma declaração, que vai ser debatida e votada na quarta-feira, sendo aberta a alterações.

"Eu sei que existem deputados de toda a Câmara [dos Comuns] genuinamente preocupados com o facto de o tempo se estar a esgotar", reconheceu a primeira-ministra.

Assim, se o Acordo de Saída negociado com Bruxelas voltar a ser chumbado no dia 12 de março, como aconteceu a 15 de janeiro, o governo fará uma declaração para ser votada no dia seguinte, 13 de março, em que o parlamento é consultado sobre se aceita que o Reino Unido saia da UE sem um acordo.

"O Reino Unido só sairá sem acordo em 29 de março se houver consentimento explícito nesta Câmara para esse resultado", garantiu May.

Se esta opção também for rejeitada, o parlamento poderá votar então, no dia 14 de março, uma proposta para pedir uma "extensão limitada curta ao artigo 50.º", disse.

PUB

"Deixem-me ser clara, não quero ver o artigo 50.º prorrogado. O nosso foco absoluto deve ser trabalhar para obter um acordo e sair a 29 de março. Uma prorrogação para além do final de junho significaria que o Reino Unido teria de participar nas eleições do Parlamento Europeu [de maio]", vincou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG