Suíça

Parlamento suíço aprova limitações à imigração

Parlamento suíço aprova limitações à imigração

O Parlamento suíço aprovou a aplicação da iniciativa contra a imigração em massa, que foi votada e aprovada pelos cidadãos suíços num referendo em 2014, e que entrará em vigor no próximo ano.

As duas Câmaras aprovaram esta sexta-feira o texto final, que é considerado uma "versão 'light'" da proposta que foi votada no plebiscito de 2014, com o objetivo de não criar problemas com a União Europeia (UE), que se mostrou firmemente contra qualquer limitação da imigração de europeus para a Suíça.

Os empregadores suíços que quiserem contratar trabalhadores europeus terão algumas formalidades adicionais a cumprir.

Originalmente, a iniciativa contra a imigração em massa pretendia um sistema mais vinculativo, com a introdução de quotas anuais para os europeus que quisessem trabalhar na Suíça para reduzir drasticamente o número de chegadas.

A Câmara Alta do Parlamento aprovou o texto com 24 votos, cinco contra e 13 abstenções, já a Câmara Baixa passou o projeto com 98 votos, 67 contra e 33 abstenções.

PUB

A UDC (partido maioritário e da direita populista), que apresentou originalmente o projeto de iniciativa popular, denunciou imediatamente este texto porque violaria Constituição suíça e seria uma capitulação diante da União Europeia.

O partido pediu ao Governo que legisle por decreto e adote um texto que respeite a iniciativa de 2014.

Se o Governo não o fizer, a UDC vai lançar uma nova iniciativa, desta vez para abolir por completo o acordo sobre a livre circulação de pessoas com a UE, que existe desde o início década de 2000 e pelo qual milhares de europeus instalam-se na Suíça a cada ano para viver e trabalhar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG